Opositores cubanos denunciam censura de SMS “dissidentes”

Yoani Sánchez, em Santiago, no dia 22 de abril de 2015 (AFP)

Um grupo de opositores cubanos denunciou nesta segunda-feira o bloqueio dos SMS que contêm as palavras como “greve de fome”, “democracia” e “direitos humanos” por parte do monopólio estatal de telefonia móvel, Cubacel.

Uma pesquisa realizada durante os últimos 10 dias publicada nesta segunda-feira pelo portal de notícias “14ymedio”, da bloggers Yoani Sánchez, revelou que os SMS que incluíam mais de trinta palavras foram bloqueadas pela Cubacel em todo o território cubano.

“O propósito é dificultar que as pessoas da sociedade civil (opositores) se comuniquem”, disse à AFP o chefe de redacção de 14ymedio.com, Reinaldo Escobar.

Depois de realizar provas com vários usuários da Cubacel, a AFP também comprovou que os SMS com as palavras em espanhol “greve de fome”, “direitos humanos” e “democracia” não passaram, apesar de terem sido incluídas em textos mais longos.

Contactados pela AFP, os funcionários do monopólio estatal de telecomunicações, Etecsa, não quiseram comentar a denúncia.

A investigação de 14ymedio não consegue dizer desde quando se o suposto filtro começou a ser aplicado. “Suspeitamos que começou no início do ano”, acrescentou Escobar.

Aberta desde 2008, a rede de telefonia móvel de Cuba tem cerca de três milhões de usuários, em uma população de 11,2 milhões de habitantes. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA