Núncio apostólico enaltece relações entre Angola e Vaticano

Núncio Apostólico em Angola e Santomé, Petar Rajic (Foto: Lucas Neto - arquivo)

O núncio apostólico de Angola e São Tomé, Petar Rajic exaltou hoje (domingo), na vila da Muxima, as relações entre os Estados de Angola e do Vaticano, tendo-as considerado de boas.

O pontífice teceu estas considerações no final da Eucaristia e de encerramento da peregrinação ao santuário da Nossa Senhora da Conceição da Muxima, presidido por si.

“As relações entre o governo angolano e o Estado do Vaticano são boas e neste momento estamos a trabalhar para se obter um acordo entre ambos, para o bem-estar dos fiéis católicos”, disse.

Para si, a festa da peregrinação à Muxima representa uma grande devoção do povo angolano, oração em silêncio, em ordem, protegida pela Maria Santíssima.

Disse louvar a pretensão do governo angolano em se construir neste local uma igreja maior, para rezar a mãe de Deus que também é padroeira de Angola.

Por sua vez, a ministra da cultura, Carolina Cerqueira, fez saber que o quadro humano visto na romaria da Muxima demonstra a plenitude da religiosidade do povo angolano, a sua generosidade, sua crença e a sua ordem em relação ao ministério da fé.

“Pensamos que o tema deste ano, (Nossa Senhora da Muxima, Mãe da misericórdia, rogai por nós!), é um apelo ao perdão, tolerância, a unidade e a convivência pacífica dos angolanos”, disse.

Apelou para que a mensagem forte passada nesta homília pelo núncio apostólico, Peter Rajic, sirva de encorajamento e como caminho a seguir nos desafios que se avizinham.

Assistiram a homilia, entidades governamentais, com destaque para a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, o governador provincial de Luanda, Higino Carneiro e o comissário geral da Polícia Nacional, Ambrósio de Lemos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA