Negócio da Fórmula Um vendido por 7,1 mil milhões à Liberty Media

(Bloomberg)

A transacção coloca nas mãos do multimilionário John Malone o negócio de direitos e licenças de distribuição e gestão comercial da Fórmula Um.

O negócio de gestão dos direitos desportivos da Fórmula Um, detido pela Formula One, foi comprado pela empresa norte-americana Liberty Media, confirmando um negócio que tinha sido avançado no fim-de-semana pela imprensa alemã.

Num comunicado conhecido na madrugada desta quinta-feira, 8 de Setembro, a Liberty Media anuncia ter comprado a empresa a um consórcio de vendedores liderado pela CVC.

Bernie Ecclestone, com 85 anos, (na foto) continuará a ser o CEO da empresa e Chase Carey foi escolhido para novo chairman da Formula One.

A transacção envolve o pagamento em dinheiro e a emissão de novas acções da Liberty Media Group, avaliando a empresa em 8.000 milhões de dólares (7,1 mil milhões de euros) e valor em activos de 3.900 milhões de euros.

A Liberty Media, do multimilionário John Malone, vai comprar a totalidade do capital da Delta Topco (a casa-mãe da Formula One, que controla os contratos, os direitos e licenças de distribuição e gestão comercial do circuito de Fórmula Um).

Os accionistas vendedores vão receber 975 milhões de euros em dinheiro, 138 milhões de novas acções série C da Liberty Media Corporation e 311,5 milhões de euros de dívida convertível naquelas acções, a ser emitida pela Formula One. Com a transacção, o consórcio passará a deter 65% das acções e terá representação no grupo, com um administrador.

Além disso, a Liberty Media comprou uma participação de 18,7% por 728 milhões de euros. Com a conclusão da aquisição, o Liberty Media Group passará a designar-se Formula One Group.

O negócio deverá estar fechado até ao primeiro trimestre de 2017, mas sujeito a aprovação dos reguladores e da concorrência. O Morgan Stanley e o Goldman Sachs International assessoraram financeiramente a transacção.

As acções da Liberty Media encerraram a sessão desta terça-feira com uma valorização de 0,18% para 21,7 dólares. (Negocios)

por Paulo Zacarias Gomes

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA