NASA revelará em breve uma surpreendente descoberta sobre lua de Júpiter que pode abrigar vida

(Nasa)

Nessa terça-feira, a NASA emitiu um comunicado de imprensa sobre a Europa, uma lua congelada de Júpiter que parece esconder um grande potencial no sentido de se tornar habitável.

A agência espacial americana falou sobre a descoberta de uma “surpreendente actividade” há 390 milhões de milhas da Terra, citando a ajuda das imagens do telescópio espacial Hubble.

Mais detalhes provavelmente serão revelados em um vídeo ao vivo na segunda feira, dia 26, às 14:00, de acordo com o comunicado:

Os astrónomos apresentarão resultados da observação de Europa, que resultou na surpreendente evidência de actividade que pode estar relacionada com a presença de um oceano subterrâneo na lua de Júpiter.

Evidências surpreendentes… Um oceano subterrâneo… Um dos objectivos mais cobiçados da humanidade no espaço… Pode se tratar da descoberta de vida extraterrestre?

Melhor não contar com isso.

(Nasa)
(Nasa)

Se a história e a ciência servem de qualquer indicação, o que veremos são mais imagens do Hubble que se parecem com essas aqui:

(Nasa)
(Nasa)

Vapor de água do oceano em Europa, visto do telescópio Hubble.

Uma visão distante e pixelizada do vapor de água ao redor da lua congelada de Júpiter, Europa. NASA/ESA/L. Roth/SWRI/University of Cologne)

Não, não há alienígenas flutuando no polo sul da Europa.

Em 2012, o Hubble foi usado juntamente com um espectrógrafo para procurar vapores de água, normalmente invisíveis. Trata-se dos pixels azuis acima da lua.

Os vapores parecem se elevar a uma altura que superaria o monte Everest em vinte vezes.

A NASA anunciou a descoberta em Dezembro de 2013, descartando o impacto de um meteorito como causa do fenómeno, já que isso poderia ter pulverizado a água e vaporizado a crosta gelada da lua.

Em vez disso, pesquisadores determinaram que algo importante estava acontecendo sob a superfície de Europa:

“De longe, a explicação mais simples para esse vapor de água seria uma erupção na superfície de Europa”, disse o autor Lorenz Roth, do Southwest Research Institute em San Antonio. “Se os vapores estiverem conectados com a água de um oceano, ficaremos confiantes de que futuras investigações poderão determinar a composição química do ambiente que pode ser habitável sem mesmo perfurar as camadas de gelo. E isso é muito emocionante.“

O anúncio é seguido por pesquisas que procuram evidenciar cada vez mais que Europa não é um mundo frio e morto.

A superfície provavelmente tem placas de gelo que estão rachando, afundando e derretendo:

(Nasa)
(Nasa)

O fenómeno permite que a água do oceano, profundamente escondida na lua de Júpiter, seja pulverizada para a superfície da lua:
Ver as imagens

(Nasa)
(Nasa)

Vapores de água vêm de oceano congelado em Europa, diz a NASA

(Uma nuvem de vapor de água do oceano subterrâneo que fica na lua congelada de Júpiter, chamada Europa.NASA/ESA/K. Retherford/SWRI)

Entramos em contacto com vários especialistas na lua Europa para termos uma ideia melhor do que a NASA anunciará para nós em breve.

Bill McKinnon, um cientista planetário da Washington University, escreveu um e-mail para o Business Insider dizendo que a descoberta “certamente está relacionada” às nuvens de vapor, pois o telescópio Hubble “não consegue captar o deslocamento das placas de gelo na lua Europa da órbita da Terra.”

“A confirmação dos vapores seria muito importante”, acrescentou ele. “Não possuo quaisquer informações privilegiadas sobre o assunto.”

Além da confirmação de novos vapores, poderíamos aprender algo sobre o que mais tem chegado à superfície de Europa junto deles.

Outros produtos químicos além da água poderiam estar saindo do centro de Europa através de sua crosta gelada, submetendo-se à análise do telescópio Hubble.

Se o telescópio captou algo verdadeiramente surpreendente, como condições necessárias para a existência de vida, pesquisadores podem pressionar a NASA a acelerar sua missão de sobrevoo na lua de Júpiter e, finalmente, criar um ambicioso esquema para levar um robô de propulsão nuclear em busca de sinais de vida.

(Nasa)
(Nasa)

O oceano de Europa

(NASA) 

A detecção de produtos químicos favoráveis à existência de vida na lua de Júpiter pode ser um tiro no escuro, já que os instrumentos do Hubble nunca foram projectados para uma tarefa desse tipo.

Sendo assim, precisamos esperar até segunda-feira para saber o que exactamente os pesquisadores descobriram. (Yahoo)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA