Muzongue da Tradição leva ao Kilamba Robertinho, Calabeto e Augusto Chakaya

Músico e compositor, Calabeto (Foto: Rosário dos Santos)

Os músicos Calabeto, Augusto Chacaia, Robertinho serão os rostos principais do Muzongue da Tradição do mês de Setembro, a ter lugar neste domingo, 11, no Centro Cultural e Recreativo Kilamba.

De acordo com o responsável, Estêvão Costa, que avançou a informação à Angop, trata-se de um programa que será inteiramente dedicado aos executantes do estilo semba, contando ainda com as participações Kipuka e Paulo Flores (como convidado especial).

Para o acompanhamento instrumental, a casa vai contar com os préstimos da Banda Movimento.

De acordo com a fonte, a intenção é proporcionar uma jornada especial para quem sempre esteve ao lado dos homens nos verdadeiros momentos da história de Angola.

Historial dos artistas

Fernandes Lucas da Silva “Robertinho” emergiu em Angola na década 80 e espera pelo segundo disco há 13 anos, depois de ter publicado, em 1991, o seu álbum de estreia “Joana”. O seu palmarés regista várias músicas de sucesso no país, com destaque para “Joana Mu Kua di Fuba”.

No agrupamento FAPLA Povo, Robertinho começou como corista e instrumentista, tocando dikanza. David Zé, Urbano de Castro e Artur Nunes eram os vocalistas; Babulo, baterista;

O FAPLA Povo teve vida efémera e Robertinho, com a intenção resoluta de investir na prossecução da sua carreira musical, juntou-se ao agrupamento Diamantes Negros, em 1983, com músicos como Santocas (Voz), Betinho Feijó (guitarra ritmo) e Massikoka (teclado).

O seu primeiro single, que inclui o tema “Saudades de voltar a Cuba”, gravado em 1978.

António Miguel Manuel Francisco “Calabeto”, nascido em Luanda, a 3 de Abril de 1945, iniciou a sua actividade na Missão Evangélica, fazendo parte do coro daquela congregação religiosa.

Em 1958, fundou a Turma Rio de Janeiro. Com uma carreira iniciada na década de 1950, Calabeto possui um repertório no qual se destacam vários temas de sucesso, como “Nzambi”, “Ngolo Yami”, “Avante o Poder Popular”, “Tussocana Kiebi”, “Camarada Presidente”, “Nguami Maka”, “A Vitória é Certa”, “Ngui dia ngui nua” e “Divórcio”.

Tem no mercado o CD “Kamba Dyami” e a participação no projecto “Geração do Semba” (volumes 1 e 2).

Augusto Chakaya, que se notabilizou nos Jovens do Prenda entre as décadas de 1980 e 1990, tem no seu repertório consta, entre outros, os temas “Lamento de um filho”, “Papá”, “Isabel”, “Longa Marcha”, “Ngana Maria”, “Sunga Sunga”. Tem no mercado o disco “Quem procura acha”.

Ana Maria Branco “Nany”, nasceu em Luanda a 08 de Agosto de 1963. É autora de temas como “Merengue da Nany”, “Um Amor Assim”, “Diala”, “Ta Kieto”, este último um dueto com a artista cabo-verdiana Sheila. Tem três discos no mercado, entre os quais destaca-se “Veio de Longe”.

Xavier Piedade “Kipuka” tem no mercado o disco “Wa Ndala Mbote”, colocado ao dispor do público em 2010.

Autor do tema “Mama”, muito apreciado nas nossas rádios e pistas de dança, bem como as inéditas “Kamenekene”, “Lelo” e “Teresa”, Kipuka conheceu, aos 9 anos, os fundadores do conjunto Kimbandas do Ritmo. Aos 13 anos, já era o vocalista principal do agrupamento. Em 1963 surge o conjunto Kipuka e os seus Malambas, onde fez várias actuações em palcos como o N’gola Cine, Colonial e Tropical.

O Muzongue da Tradição é um evento que faz parte da grelha de programas do Centro Recreativo e Cultural Kilamba, antigo Maria das Escrequenhas, que tem ainda “Farrar ao Antigamente” e “Show à Sexta-Feira”. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA