Moxico: Bebida caseira Caxi domina barracas dos subúrbios do Luena

Moxico: fabrica de bebidas alcoólica rural - Kaporroto (Foto: David Dias)

O Caxi, bebida alcoólica de fabrico caseiro, é a mais consumida nos subúrbios da cidade do Luena, província do Moxico, para, segundo os seus consumidores, fazer face à subida do preço da cerveja, vinho, whisky, entre outras bebidas comercializadas no mercado local.

Numa ronda feita quinta-feira pela Angop nos principais mercados informais localizados nos arredores da cidade do Luena, principalmente no bairro Mandembwé, Alto Campo, Zorró e Capango, o Caxí tornou-se na bebida mais consumida nos espaços de lazer.

O munícipe, Wazanga Caquarta, funcionário público, disse que o Caxi é a bebida típica mais consumida na região desde os tempos dos seus ancestrais.

“O Caxi, também conhecida como “Catchipembe”, na língua Tchokwe, é uma bebida especial, pois só faz mal à saúde quando exagerada”, esclareceu Wazanga Caquarta, acrescentando que alguns expatriados procuram com frequência esta bebida.

Para Narciso Pensamento, um outro consumidor assíduo que frequenta à barraca “Dona Jú”, local onde o Caxi tem maior saída durante o dia, esta bebida é um símbolo da região, por possuir um histórico tradicional de longa data.

Considerou ser um produto tradicional acessível aos bolsos dos consumidores (cinco litros custam 500 Kwanzas) e com muito boa qualidade, por isso, a sua preferência.

Tchisseque Moisés, também consumidor, admitiu fazer do Caxí uma bebida especial nas cerimónias tradicionais realizadas aos fins-de-semana, por oferecer um paladar convidativo e uma suavidade incomensurável.

O Caxi é produzida com farinha de bombô ou de milho, cozida a 145 graus de ebolição durante três horas e uma mistura de açúcar, farelo de milho amarelo, casca de mandioca, entre outros produtos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA