Kyaku Kiadaff vence festival da LAC

Kyaku Kiadaff (à dir) vence Festival da Canção de Luanda (Foto: Henri Celso)

O músico Kyaku Kiadaff arrebatou sexta-feira à noite o Grande Prémio da Canção, com o tema “Mbi Ya Nany”, interpretada por Armm Ondkamu, no Festival da Canção de Luanda, promovido anualmente pela Rádio Luanda Antena Comercial (LAC).

A mesma canção “Mbi Ya Nany” valeu também a Kyaku Kiadaff a vitória na categoria de Melhor Produção do Festival, uma categoria nova no concurso.

Com as duas distinções, o artista acumulou, em prémios, um cheque no valor de um milhão e 200 mil kwanzas.

“É uma grande alegria e honra levar para casa uma distinção como esta. O Festival da Canção de Luanda é um concurso importante que estimula a criatividade do artista. E ter na prateleira este prémio é para mim muito honroso”, disse o músico à imprensa.

A performance de Armm Ondkamu, o intérprete da canção vencedora, valeu-lhe o premiu de Melhor Interpretação, uma categoria que lhe rendeu 200 mil kwanzas em cheque.

Este, por sua vez, disse que o prémio serve de incentivo à sua carreira ainda em fase embrionária, mas “com provas claras de que tem pernas para andar”.

A 19ª gala de reconhecimento e distinção do género canção atribuiu também os prémios Melhor Letra a Lídio Gomes, pelo tema “Lágrimas”, e Melhor Voz a Lípsia, que deu voz à música “Tic Tac”.

A noite registou também a performance de Branca Celeste, que, com o tema “Twendi Kavaly, arrebatou o Premiu Unitel, uma categoria que, diferente as outras, é posta à votação pública durante as semanas anteriores ao dia do festival.

Dez artistas concorreram à principal categoria do festival, o Grande Prémio da Canção, avaliado em um milhão de kwanzas, cuja avaliação foi feita por um grupo de jurados composto por Cremilda de Lima (escritora), Ana Paula Godinho (advogada), Calabeto (músico), Yola Semedo (música) e Lito Costa (jornalista).

À semelhança das edições anteriores, a organização do Festival da Canção de Luanda optou por homenagear os caminhos-de-ferro do país, tendo sido criada uma rapsódia que englobou as distintas manifestações em volta deste meio de transporte.

“Nos Trilhos da Música, um Comboio de Canções” foi o tema da rapsódia, que contou com a prestação de nomes conhecidos da praça angolana, como Sabino Henda, Gabriel Tchiema, Duo Canhoto, Gizela Silva, Walter Ananás, João Alexandre, Moniz de Almeida e Gari Sinedima.

Perto de 16 temas preencheram a rapsódia que teve a produção musical de Livongh, a encenação de Maneco Vieira Dias e a coreografia do Ballet Kilandukilu.

Sobre a encenação e o seu tema, caminhos-de-ferro, a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, sublinhou a importância, desde meio de transporte e a ligação cultural que o mesmo tem com os angolanos, principalmente no interior do país.

“Os comboios sempre tiveram significado especial para o povo angolano. Durante muitos anos ficamos privados deste bem por motivos que todos nós sabemos. Agora vivemos um contexto diferente, onde é possível beneficiarmos deste transporte”, disse a ministra, num breve contacto com a imprensa.

O Festival da Canção de Luanda é um concurso anual que distingue o género canção e surge no contexto das festividades alusivas ao dia da Luanda Antena Comercial, a LAC, criada em 1992.

Contrariamente as edições anteriores, este ano o concurso decorreu no pátio da emissora, onde foi criado um ambiente intimista. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA