Governo colombiano formaliza acordo de paz histórico com as FARC

Um membro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), durante a cerimónia de encerramento de um congresso rebelde perto de El Diamante em Yari Plains, Colômbia, 23 de setembro de 2016 (REUTERS /John Vizcaino)

Tinha lugar hoje com pompa e circunstância em Cartagena de Índias a assinatura do acordo de paz para a Colômbia entre o governo e a guerrilha das FARC, pondo um termo a mais de 50 anos de guerra.

Hoje é um dia histórico em todo o país, marcado pela assinatura formal em Cartagena das Índias do acordo de paz entre o presidente Juan Manuel Santos e o líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia Timoleon Jiménenez, conhecido por “Timochenko”, visando pôr termo a 52 anos de uma guerra fratricida que causou 260 mil mortos, 45 mil desaparecidos e quase 7 milhões de deslocados.

Este acordo a cuja assinatura assistiram uma quinzena de chefes de estado latino americanos, mas também John Kerry, Cristine Lagarde e outras personalidades, só entrará em vigor depois do referendo de aprovação que terá lugar no próximo domingo.

Uma sondagem divulgada no 23 de Setembro indica que o “sim” iria vencer com 54%.

Uma data histórica como reconhece Miguel Barros Rodrigues, director do Observatório de construção da paz na Universidade Jorge Tadeo Lozano de Bogotá, entrevistado pela RFI. (RFI)

DEIXE UMA RESPOSTA