Governo colombiano formaliza acordo de paz histórico com as FARC

Um membro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), durante a cerimónia de encerramento de um congresso rebelde perto de El Diamante em Yari Plains, Colômbia, 23 de setembro de 2016 (REUTERS /John Vizcaino)

Tinha lugar hoje com pompa e circunstância em Cartagena de Índias a assinatura do acordo de paz para a Colômbia entre o governo e a guerrilha das FARC, pondo um termo a mais de 50 anos de guerra.

Hoje é um dia histórico em todo o país, marcado pela assinatura formal em Cartagena das Índias do acordo de paz entre o presidente Juan Manuel Santos e o líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia Timoleon Jiménenez, conhecido por “Timochenko”, visando pôr termo a 52 anos de uma guerra fratricida que causou 260 mil mortos, 45 mil desaparecidos e quase 7 milhões de deslocados.

Este acordo a cuja assinatura assistiram uma quinzena de chefes de estado latino americanos, mas também John Kerry, Cristine Lagarde e outras personalidades, só entrará em vigor depois do referendo de aprovação que terá lugar no próximo domingo.

Uma sondagem divulgada no 23 de Setembro indica que o “sim” iria vencer com 54%.

Uma data histórica como reconhece Miguel Barros Rodrigues, director do Observatório de construção da paz na Universidade Jorge Tadeo Lozano de Bogotá, entrevistado pela RFI. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA