Girabola: Agentes desportivos preocupados com má prestação do Caála

Clube Recreativo da Caála, Huambo. (Foto: Valentino Yequenha/Angop)

Huambo – A má prestação do Recreativo da Caála nas últimas cinco jornadas do presente Girabola, em que o conjunto tem alternado empates e derrotas, está a preocupar os agentes desportivos da província do Huambo.

Em declarações à Angop, segunda-feira, disseram que se os “azuis e brancos” da cidade satélite da Caála não inverterem, o quadro nas próximas jornadas podem ver ameaçado a permanência na competição.

Para António Sayombo, ex-futebolista do Petro do Huambo e actual secretário-geral do Benfica do Huambo, as constantes paragens do campeonato estão a prejudicar os “caalenses”, que vinham de uma sequência de bons resultados ainda na I volta.

“Esta má fase do Recreativo da Caála deve-se, em grande parte, a má programação do Girabola, pois há muitas paragens que dificultam a normal preparação das equipas e afrouxa o ímpeto competitivo”, manifestou.

Jorge Sanguende, dirigente de uma equipa amadora, também admite que esta má fase do Caála é fruto das constantes interrupções do campeonato, mas afirma que a equipa técnica não está a conseguir recuperar a forma competitiva do conjunto.

Entretanto, mostra-se optimista numa breve recuperação do conjunto, já na próxima ronda, quando defrontar, em Luanda, o Progresso do Sambizanga.

Já o adepto Culivela Aurélio, residente na cidade da Caála, não concorda que a equipa está em sub-rendimento por causa das paragens, admitindo que tem falta atitude e ambição nos jogos, principalmente em casa.

Tal como os anteriores entrevistados, concorda ser urgente inverter o quadro, para decidir a permanência na prova antes das jornadas derradeiras.

A faltarem seis jornadas para o fim do Girabola, designação do campeonato nacional de futebol sénior masculino da 1ª divisão, o Recreativo da Caála soma 29 pontos, na 10ª posição.

Com 51 pontos, o 1º de Agosto lidera a prova, mais três que o Petro de Luanda e o Libolo, enquanto na última posição (16ª) está o Porcelana do Cuanza Norte, com 18 pontos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA