Gabão: O dilema do recurso da oposição

Jean Ping contesta a reeleição do presidente Ali Bongo (REUTERS/Noor Khamis)

No Gabão expira hoje o prazo para eventuais recursos junto do Tribunal constitucional a propósito das controversas eleições presidenciais de 27 de Agosto, com muita incerteza no ar.

A oposição manteve o suspense até ao fim sobre se, sim ou não formalizaria um recurso junto de um órgão no qual não acredita.

O Tribunal constitucional é tido como estando sob influência do palácio presidencial.

Os seus 9 juízes são nomeados pelo presidente do Senado, pelo líder da Assembleia (as duas câmaras do parlamento), mais o próprio chefe de Estado.

O presidente do referido órgão é escolhido entre os membros designados pelo presidente da república.

Pelo que este recurso pelos partidários de Jean Ping sempre foi visto com muitas reticências.

Porém o chefe de Estado insiste em que legalmente não há outro recurso.

A oposição insistia em que a nova contagem dos boletins de voto se fizesse perante a Comissão de eleições, sob supervisão de peritos.

“O que quer que venhamos a fazer ser-nos-á sempre censurado”…admitia o porta-voz de Jean Ping.

Caso um recurso seja formalizado o Tribunal constitucional, depois de ouvir ambas as partes, tem quinze dias para pronunciar a sua sentença. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA