Fundo Soberano quer dinamizar Angola

José Filomeno de Sousa dos Santos, presidente do Fundo Soberano de Angola (DR)

O Fundo soberano anunciou os resultados das sua actividades no primeiro trimestre deste ano. O relatório avança que o país vai investir na produção agrícola em larga escala. Este organismo gerido por José Filomeno dos santos, filho do Presidente, não é controlado pelo Parlamento e é considerado opaco pela oposição.

O Fundo Soberano de Angola vai investir em fazendas de larga escala de produção agrícola, distribuídas por sete províncias do país. A informação consta no relatório sobre os resultados do primeiro trimestre onde pode ler-se que a gestão destas sete fazendas, localizadas nas províncias do Bié, Cunene, Malange, Moxico, Cuando Cubango, Uíge e Zaire, totalizam uma área de 72.000 hectares e foi atribuída directamente pelo Ministério da Agricultura.

Este investimento vai permitir criar áreas agrícolas dedicados à produção de grãos, oleaginosas e arroz para garantir o consumo nacional e exportação. A decisão acontece no momento em que o executivo de José Eduardo dos Santos quer diversificar a economia para evitar que o país seja tão dependente do petróleo.

Os ativos do Fundo Soberano cifram-se em quatro mil milhões de euros em investimentos, de várias origens, sobretudo em África e na Europa. O fundo declara ainda uma carteira de títulos e valores mobiliários-obrigações-acções e fundos de cobertura avaliados em 1,6 mil milhões de euros

Este organismo gerido por José Filomeno dos Santos, filho do Presidente de Angola, não é controlado pelo Parlamento e a oposição considera-o pouco transparente. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA