Feijão regista maior variação

(Foto: D.R.)

Inquérito sobre procura e oferta constata que os supermercados continuam com fraca clientela apesar das prateleiras estarem cada vez mais recheadas de produtos que integram a cesta básica.

feijão foi o produto que registou maior variação no preço ao longo dos últimos sete dias nas prateleiras dos principais supermercados de Luanda. No último exercício realizado, constatou-se que o hipermercado Candando é o único, até agora, a comercializar o quilo de feijão a 495 kwanzas.

(D.R.)
(D.R.)

Na habitual ronda efectuada pelo JE às grandes superfícies comerciais, não se constataram grandes oscilações na tabela de preços, a julgar, por um lado, pelo número reduzido de clientes (procura) e, por outro, pelo fraco consumo das famílias que nesta altura do mês procuram conter os gastos.

(D.R.)
(D.R.)

Assim, dando uma olhada aos preços dos principais produtos que compõem a cesta básica, o arroz não sofreu muita variação, pois manteve-se o preço no AlimentaAngola, no Max e no Kero. O mesmo aconteceu com o açúcar que apenas registou variação no Candando e no Shoprite.

O custo do leite está, semanalmente, a sofrer oscilações, ora a subir, ora a descer, numa concorrida disputa entre a produção interna e a externa.

Bens de preços vigiados mais baratos nas praças

Ministério das Finanças fez saber que seis em cada dez dos produtos em regime de preços vigiados nos supermercados

tiveram uma redução que chegou aos 28 por cento no mês de Agosto e que nos mercados informais esta baixa foi mais visível.

Seis em cada dez dos produtos em regime de preços vigiados nos supermercados tiveram uma redução que chegou aos 28 por cento, durante o mês de Agosto. Os dados foram tornados públicos, esta semana, em Luanda, pelo Instituto de Preços e Concorrência (IPREC), através da publicação do Boletim de Preços do seu Departamento de Competitividade e Análise de Mercado.

De entre os 33 bens de consumo que compõem a lista, o tomate, a cenoura, a batata-doce e o pão foram os que registaram maiores descidas nos preços, de Julho para Agosto, nos supermercados. Já a farinha de trigo, o óleo de palma e o alho foram os que registaram as maiores subidas.

Comportamento dos preços

Segundo a análise do Instituto de Preços e Concorrência (IPREC), o comportamento dos preços dos produtos varia em função da sua proveniência: os de origem nacional viram os seus preços evoluir em baixa, enquanto os importados registaram subidas, de acordo com a realidade observada em Agosto nos mercados da cidade de Luanda. O principal factor apontado como tendo estado na base da alta dos preços dos produtos importados é a escassez de divisas.

O Iprec, órgão tutelado pelo Ministério das Finanças, observa ainda que, regra geral, os produtos em regime de preços vigiados apresentam preços mais baixos nas praças do que nos supermercados, com destaque para os bens de produção primária, como a carne, o peixe, os hortícolas e a fruta.

A regulamentação das Bases Gerais do Sistema Nacional de Preços pelo Decreto Executivo N.º 62/16, de 15 de Fevereiro, fixa a lista dos produtos em regime de preços vigiados. (jornaldeeconomia)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA