Duelo pela Presidência de Cabo Verde

Debate na TCV entre Jorge Carlos Fonseca e Albertino Graça (DR)

Dois dos três protagonistas das eleições presidenciais de 2 de Outubro em Cabo Verde participaram nesta Segunda – feira no único debate televisivo da campanha. O terceiro candidato esteve ausente, alegando preferir “estar junto do eleitorado”.

Visto que Joaquim Jaime Monteiro preferiu não participar no debate, este teve lugar entre Jorge Carlos Fonseca, Presidente cessante, que se apresenta para um novo mandato, e o Reitor da Universidade do Mindelo, Albertino Graça.

O debate durou cerca de uma hora, e os dois candidatos à Presidência abordaram temas da actualidade, evocaram questões relacionadas com as eleições e os poderes presidenciais, e responderam mesmo às perguntas de alguns estudantes universitários ali presentes.

Como era de esperar, houve divergências nos pontos de vista dos candidatos. Exemplo disso, o papel do Presidente da República que – para Jorge Carlos Fonseca – deve ser o de “guardião da Constituição”, ao passo que – para Albertino Graça – a função de chefe de Estado vai mais além do que a Constituição, devendo ter o papel de “dinamizador”, nomeadamente da Economia.

Albertino Graça alertou para o que considera ter o poder político concentrado numa única área.

A certa altura do debate, os dois políticos reclamaram o estatuto de candidato mais independente. .”Não tenho ligação nenhuma à vida partidária há 18 anos”, diria Jorge Carlos Fonseca. “ Nunca estive ligado a nenhum partido”, responderia Albertino Graça.

Entretanto, Jorge Carlos Fonseca disse que, se fôr reeleito, vai ter a mesma postura que teve nos últimos cinco anos.

Na parte final do debate, os dois dirigiram-se directamente ao eleitorado. Albertino Graça pediu discernimento na hora da votação. Por seu lado, Jorge Carlos Fonseca apelou ao voto no dia 2 de Outubro, afirmando contar com o voto da cada um para continuar a exercer a função de Presidente. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA