Dirigente da CASA-CE diz-se contra transformação em partido

Presidente do Partido de Apoio para Democracia e Desenvolvimento de Angola ? Aliança Patriótica (PADDA), Alexandre Sebastião André (Foto: Rosário dos Santos)

O presidente do Partido de Apoio para Democracia e Desenvolvimento de Angola – Aliança Patriótica (PADDA), Alexandre Sebastião André, reafirmou nesta quarta-feira, em Luanda, a sua posição contrária à transformação da coligação CASA-CE em partido político, apesar de esse desejo ter sido anuído pelo II Congresso daquela aliança, da qual faz parte.

Em declarações à imprensa, à margem do conclave encerrado nesta noite, afirmou que continuam na CASA-CE e não se mudou nada.

“Os partidos da coligação continuam. Os partidos políticos não se manifestaram e deixem a resolução do Congresso por aí. Foi uma vontade dos militantes congressistas, mas cautelosamente, o PADDA ainda não deu nenhum passo”.

Disse ser uma posição cautelosa do PADDA e de alguns partidos políticos, conscientes que a transformação não se faz com decretos, nem por mera resolução” e que a CASA-CE tem os seus elementos constituintes, como personalidade jurídica.

Fundada em 2012, a CASA-CE é uma coligação dos Partidos de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), de Apoio da para Democracia e Desenvolvimento de Angola – Aliança Patriótica (PADDA), Pacífico Angolano (PPA) e Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA).

Alexandre Sebastião, lacónico, disse que é essencial que os cidadãos pugnem pela paz e pelo respeito às instituições.

Já o porta-voz do II Congresso e vice-presidente da CASA-CE, Lindo Bernardo Tito, manifestou surpreendido com o colega, informando que a transformação da CASA-CE em partido foi amplamente discutida e aprovada por todos.

Sublinhou ter havido, ao longo de meses, um debate profundo e troca de impressões, em que foram tomadas decisões para transformar coligação em partido.

Explicou que, tratando-se da vontade da maioria dos delegados do Congresso, os documentos finais serão remetidos aos tribunais competentes.

Lindo Bernardo Tito adiantou que o processo para a transformação da CASA em partido iniciou-se em 2012, mediante acordo de coligações constituintes e reiterada em reuniões e rubricados acordos com garantias de todas as partes da coligação. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA