Delegação de oposição síria pede maior envolvimento ao Egipto

(Euronews)

Uma delegação da oposição síria foi recebida pelo ministro dos negócios estrangeiros egípcio no Cairo, para tentar obter o empenhamento egípcio na procura activa de uma solução para o conflito sírio.

A reunião toma lugar quando todas as rondas negociais e o acordo feito entre a Rússia e os Estados Unidos falharam na implementação e a escalada de violência na Síria, em particular em Alepo, como diz um dos representantes, Jamal Suliman: “Depois de ter grandes esperanças, grandes expectativas relativamente ao recente acordo Rússia-Estados Unidos quanto a tréguas e cessação de hostilidades na Síria, com a preparação do lançamento de uma nova ronda negocial em Genebra…percebemos agora que as coisas estão num ponto pior que antes.”

A delegação negociadora, que incluiu Jamal Suliman, Kassem Al Khatib e Firas Al Khaledy e foi liderada por Jihad Makdissi, ex porta voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros sob o governo de Bashar al-Assad.

A delegação pediu ao governo egípcio que envidasse maiores esforços dada posição do país enquanto importante parceiro regional na zona árabe.

O objectivo agora é um cessar fogo que permita a ajuda humanitária necessária aos sírios, diz Jihad Makdissi: “Ninguém tem de ser equidistante quanto a cada um dos lados. Algumas decisões foram emitidas pelo Conselho de Segurança e queremos apenas que sejam implementadas, tal como a Declaração de Genebra ou a Convenção de Viena, que declaram o retomar das negociações, são suas directrizes e também clarificam os passos da transição política. Assim, não pedimos que apoiem a nossa posição pessoal, mas que se faça apenas um esforço para acabar com esta guerra.”

A delegação da oposição pensa ser menos provável encontrar uma solução para a situação síria sem um acordo regional e internacional, especialmente com aquilo a que chamam as intervenções e interesses internacionais, que se tornaram parte do conflito sírio, acrescenta o jornalista da Euronews, Mohammed Shaikhibrahim, no Cairo.

Jihad Makdissi também frisou que uma solução na Síria não acontecerá sem o acordo entre a Rússia e os Estados Unidos, antes de mais, uma vez que são os mais importantes lados envolvidos no conflito. (Euronews)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA