Cuanza Norte: Brigada Jovem de literatura recomenda criação da Casa do artista

Cuanza Norte: Brigada Jovem de Literatura na província em reunião de balanço (Foto: Diniz Simão)

A brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA), no Cuanza Norte, recomendou nesta sexta-feira, em Ndalatando, ao governo da província a criação de uma casa do artista para acomodar todas as organizações artísticas locais, visando dignificar os fazedores de artes da região.

A recomendação vem expressa no comunicado final da quinta Assembleia Ordinária de balanço do secretariado provincial do Cuanza Norte da BJLA, no qual os participantes expressaram ainda preocupação, devido a falta de espaços na região para a massificação de actividades culturais.

No entender dos amantes da literatura, o espaço, além de albergar as representatividades artísticas, serviria igualmente, como um fórum privilegiado para a promoção das manifestações culturais contribuindo, assim para a valorização dos artistas.

Recomendaram também a institucionalização de um concurso com periodicidade bimensal de recitais de poesia, visando a descoberta de novos talentos no domínio da escrita e estimular o aparecimento daqueles que se encontram no anonimato.

Concluíram também da necessidade da criação de oficinas literárias em estabelecimentos de ensino e em unidades militares, policiais e de produção com vista a estimular os hábitos de leitura e escrita.

Durante o encontro, os participantes balancearam as actividades realizadas de 2011 a Agosto de 2016 e aprovaram as acções a serem desenvolvidas pela instituição, no biénio 2016-2018.

Informações sobre as oficinas literárias e do projecto cultural a “palavra e o público” bem como a substituição por outros, de alguns membros do conselho de direcção por operactividade e mudança de localidade foram outros dos aspectos abordados na reunião.

No final, os participantes endereçaram uma moção de agradecimento ao governador do Cuanza Norte, José Maria Ferraz dos Santos, pelo seu contributo no desenvolvimento das artes e outra de reconhecimento ao poeta maior, Agostinho Neto pela sua contribuição no desenvolvimento do movimento literário em África e no mundo, com realce para a poesia, sua principal alma de luta pela independência Nacional.

A assembleia foi orientada pela secretária provincial do Cuanza Norte da BJLA, Rosária da Silva, que destacou, na sua intervenção, as dificuldades enfrentadas pela organização literária, traduzidas na falta de recursos financeiros e de instalações próprias para o seu funcionamento.

Convidado a encerrar o evento, o secretário-geral adjunto da BJLA, John Bella, encorajou a juventude a dedicarem-se mais a leitura e ao estudo das obras literárias de Agostinho Neto, com vista a aumentar o nível de conhecimento sobre o “poeta maior”.

O também acompanhante do secretariado-geral da organização à província repudiou ainda alguns sectores da sociedade portuguesa, incluindo alguns escritores, que tendem em denegrir a imagem e o prestígio de Agostinho Neto, lançando contra ele palavras caluniosas e infames.

A assembleia decorrida na biblioteca provincial “António de Assis Júnior” contou com a presença da maior parte dos membros da brigada.

A brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA) no Cuanza Norte existe desde 1988 e controla mais de 100 membros, entre escritores, poetas, trovadores e amantes da leitura, tendo já editado e lançado no mercado literário duas antologias poéticas.

A primeira, intitulada ”Vozes do Kwanza-Norte”, em 2009, com a participação de 10 poetas e a segunda em 2014, com o título “Fogueira Acesa”, durante a Feira do artesanato do Dondo com a participação de 39 jovens.

A organização tem se dedicado na promoção e incentivo de actividades literárias através da realização de recitais de poesia, e outras, sobretudo em comemorações de efemérides. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA