Cuando Cubango: Governante realça importância das Plataformas logísticas

Cuando Cubango: Ministro Augusto da Silva Tomás (Foto: Armando Morais)

O ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, afirmou sexta-feira, nesta cidade, que as plataformas logísticas têm tudo a seu favor para se transformarem no elemento dinâmico da economia regional e promoção de vários objectivos macro-económicos que estão em sintonia com a estratégia nacional de desenvolvimento.

O governante, que falava no acto de abertura do “Seminário Regional das Plataformas Logísticas”, declarou que a estratégia do Executivo está virada para o crescimento e a diversificação sectorial do Produto Interno Bruto, o aumento do emprego e a industrialização.

Referiu que tal estratégia consubstancia-se na substituição de importações e o fomento das exportações, bem como no reforço da internacionalização da economia nacional noutros sectores que vão além do petrolífero.

Notou que com a atracção de investimentos noutras áreas tenderão a ser criados mais postos de trabalho, permitindo que uma parte da população actualmente sem ocupação ou empregada em actividades precárias venha a ter, nos novos empreendimentos, uma oferta de emprego credível com uma ocupação adequadamente remunerada, estável e com carácter permanente.

Para si, com mais investimento e mais emprego geradores de riqueza e de rendimento, se estimulará a aceleração da procura e o consumo de produtos de primeira necessidade e de bens transacionáveis.

Aferiu que tal método vai favorecer o reinvestimento no aumento da capacidade produtiva instalada, na inovação e desenvolvimento e na abordagem a novos mercados noutros países e continentes, bem como a realização de novos investimentos de raiz do sector público e privado.

“Tudo isso tem na sua essência a génese de um processo de crescimento económico sustentável, assente na dinâmica produtiva criada, na diversificação sectorial do produto e no efeito multiplicador”, realçou.

Augusto Tomás augura que as plataformas constituirão uma autêntica guarda-avançada dos interesses de Angola na região, como consequência do seu posicionamento geoestratégico privilegiado na zona austral do continente e da extensa linha de costa de que dispõe, onde pontuam cinco grandes portos.

Segundo o ministro, as plataformas logísticas são um contributo a nível regional para o esforço de levar até ao interior, infraestruturas básicas no campo da logística, das acessibilidades e da mobilidade de pessoas e bens, com uma forte ligação aos sectores produtivos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA