Coreia do Norte desafia ONU e promete fortalecer capacidade nuclear

Chanceler norte-coreano Ri Yong Ho faz discurso na ONU. 23/9/2016. (REUTERS/Carlo Allegri)

A Coreia do Norte prometeu nesta sexta-feira fortalecer ainda mais a sua capacidade em armas nucleares, apesar da condenação e das sanções da Organização das Nações Unidas, e disse que não abandonaria a sua força de dissuasão enquanto fosse ameaçada por países com armas atómicas.

Num discurso à Assembleia Geral da ONU, o ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, descreveu as armas nucleares do seu país como “uma medida justificada de autodefesa” contra “ameaças nucleares constantes dos Estados Unidos”.

“Tornar-se armado com dispositivos nucleares é a política do nosso estado”, afirmou ele. “Enquanto houver um estado com armas nucleares em relação hostil connosco, a nossa segurança nacional e a nossa paz na península coreana só podem ser defendidas com dissuasão nuclear confiável”, declarou ele.

Ri disse que a Coreia do Norte “vai continuar a tomar medidas para reforçar a capacidade nuclear das suas forças tanto em quantidade quanto em qualidade”.

Ri afirmou que a península coreana era o “lugar mais perigoso” do mundo, “que poderia até iniciar a deflagração de uma guerra nuclear”, e que a culpa disso era “directamente” dos EUA. (Reuters)

por David Brunnstrom

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA