Benguela: Alfabetizados mais de 600 mil cidadãos na província

Aula de Alfabetização (Foto: Angop)

Seiscentos e quarenta mil e 226 cidadãos aprenderam a ler e a escrever no período entre 2007 e 2016, na província de Benguela, no âmbito do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE), afirmou o seu coordenador, Mário João Manuel.

Segundo o responsável, que falava nesta terça-feira à Angop sobre os resultados alcançados com o PAAE e as estratégias para a sua revitalização, neste período 450 mil e 32 alunos, entre homens e mulheres foram alfabetizados, nos módulos “1 e sim eu posso”, outros 97 mil e 676 no” módulo 2” que compreende a 3ª e 4ªclasse, tendo no “módulos 3” beneficiado 92 mil e 508 alunos das 5ª e 6ª classe.

O Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE), implementado pelo executivo angolano há dez anos, permitiu ainda regular o fluxo de alunos no ensino primário, proporcionando deste modo a aceleração escolar destes matriculados a partir dos 12 anos.

De acordo com o responsável, apesar dos resultados alcançados, sem revelar números, calcula-se que na circunscrição tenha um efectivo considerável de adolescentes e adultos analfabetos, razão pela qual o ministério da Educação prevê reduzir para nove porcento esse universo até 2017.

Actuando no ensino primário regular e de adultos, explicou que, o PAAE desde a sua implementação a luz de uma Resolução do conselho de Ministros aprovou a estratégia de relançamento da alfabetização e recuperação do atraso escolar e tem contribuído para reformar os subsistemas de educação de adultos, com a introdução de material de estudo específico desde a alfabetização ate a pós- alfabetização, isto é (1ª a 6ª classe).

Apontou como adequados a aceleração escolar, ainda no mesmo quadro, a introdução na estratégia didáctica curricular, consubstanciada na metodologia de aprendizagem nos módulos, “sim eu posso”, “gostar de ler e escrever” e Dom Bosco”.

Mário João Manuel adiantou que com a implementação do PAAE tem sido possível avaliar o qualitativo e quantitativo no pós alfabetização e garantir o fornecimento periódico de material didáctico ao longo do processo. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA