Aumentam evidências científicas de que cigarros electrónicos ajudam a parar de fumar

Cliente testa cigarro electrónico em Tóquio (REUTERS/Toru Hanai)

Cigarros electrónicos podem ter ajudado cerca de 18 mil pessoas na Inglaterra a parar de fumar no ano passado, e não há evidências de nenhum efeito colateral sério associado com o seu uso por até dois anos, de acordo com estudos publicados nesta terça-feira.

Pesquisadores da University College London (UCL) analisaram os últimos dados sobre fumadores e ex-fumadores na Inglaterra, incluindo detalhes sobre fumadores que trabalharam com um serviço de saúde para estabelecer uma data para deixar o hábito.

Ao mesmo tempo que eles não encontraram nenhuma evidência directa de que os cigarros electrónicos tinham levado mais pessoas a tomar a decisão de tentar e desistir, a equipe constatou que, à medida que mais pessoas usaram os cigarros electrónicos, mais pessoas também pararam de fumar com sucesso.

Numa outra análise científica também publicada nesta terça, pesquisadores da Cochrane Review concluíram que as evidências em geral sobre cigarros electrónicos sugerem que eles podem ajudar pessoas a parar de fumar e não têm efeitos colaterais sérios.

Os cigarros electrónicos, que transformam líquido com nicotina em vapor, tem se expandido rapidamente num mercado global desse tipo de produto que foi estimado em cerca de 7 biliões de dólares em 2015. (Reuters)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA