Angola pode operacionalizar seguro agrícola este ano

PCA da ARSEG, Aguinaldo Jaime (Foto: Gaspar dos Santos)

O presidente do Conselho de Administração da Agência Angolana de Regulação e Supervisão dos Seguros (ARSEG), Aguinaldo Jaime, admite que antes do final do ano o país pode ter o seguro agrícola operacional.

Ao falar nesta terça-feira, no workshop sobre o “Papel dos seguros e Fundos de Pensões no Desenvolvimento Económico e Social”, sublinhou que o seguro agrícola não dispensa a participação do Estado.

O referido seguro, que está em fase de preparação, vai ter a participação da ARSEG, dos ministérios da Economia, Agricultura e dos resseguradores.

Informou que o seguro agrícola vai ser uma ferramenta para a protecção dos agricultores, o que vai permitir enfrentar os riscos que a actividade agrícola envolve.

Entre os riscos destacou a seca, desertificação, queda excessiva de água e as que podem ter consequências devastadoras.

Daí, prosseguiu, tem que haver uma divisão de trabalho entre o Estado e as próprias empresas agrícolas para que não sejam apenas as seguradoras a suportar estes riscos. “Porque se fossem, elas faziam repercutir estes riscos no preço do seguro e o seguro ficaria inviável”.

Fez referência aos países que criaram o que chamou Fundos de Calamidade, para que em situações dessas poderem ajudar as seguradoras e os agricultores.

Quanto ao seguro de importação de mercadorias foi necessário envolver muitos operadores, com seminários, para sensibilizar as pessoas e ouvir as suas preocupações. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA