Ameaça à segurança nacional: documentos secretos de Portugal são encontrados em África

(flickr.com/ Shehan Peruma)

Entre os documentos, foram encontrados relatórios do Serviço de Informações de Segurança (SIS), da GNR e da PSP. Segundo a media, o vazamento pode pôr em risco a segurança nacional e internacional.

Segundo o jornal Observador, os documentos foram encontrados em um país da África Ocidental e estariam na posse de um cidadão de aparência árabe. Desconhece-se por completo a sua identidade.

“Todos os documentos dos serviços de informações são classificados por natureza e sujeitos ao regime do segredo de Estado. Se os documentos aparecem nas mãos de terceiros, há uma quebra de segurança”, afirma Rui Pereira, antigo director do SIS, ao Observador.

Entre os documentos, há um relatório do SIS sobre um grupo criminoso de origem norte-americana que actua aparentemente em Portugal. Também há manuais de segurança das instalações internacionais e um manual de inteligência da OTAN em inglês. E, ainda, um organograma sobre uma alegada rede de narcotráfico que opera a nível internacional, traçando todas as suas ligações e possíveis crimes cometidos.

O SIED (Serviço de Informações Estratégicas de Defesa) tentou localizar o cidadão que portava as informações confidenciais, mas o homem nunca mais foi visto naquele país africano. Serviços da segurança de Portugal ainda não revelaram informações sobre este questão.

Vale lembrar que em maio, o português Frederico Carvalhão Gil, segundo acusações, vendeu uma série de documentos confidenciais do seu país por uma quantia significativa para um agente secreto russo. Todavia, o nome do russo é desconhecido, mas há rumores que ele seja um agente de elite, que convenceu Frederico a vender os documentos.

Segundo os dados revelados, Frederico Carvalhão Gil era chefe do Departamento do Sistema de Informações da República Portuguesa, cargo que assumiu durante décadas. Há alguns anos, ele foi despedido de sua função por suspeita ligação com uma russa. Esse despedimento, por sua vez, teria sido o principal motivo da sua traição e venda dos ficheiros. (Sputnik)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA