Acefalia no Mercosul não afeta negociação com UE

(AFP)

A negociação entre o Mercosul e a União Europeia (UE) segue seu curso normal para um acordo comercial, apesar da acefalia na presidência pro tempore do bloco sul-americano, disse nesta terça-feira o vice-chanceler do Paraguai, Rigoberto Gauto.

“A situação da presidência do Mercosul não afectou as negociações com a União Europeia. Em nenhum momento (os delegados da UE) questionaram isso”, afirmou Gauto.

“A Venezuela não é parte desse processo de negociação com a UE, por isso não há nesse aspecto qualquer dificuldade”, explicou o vice-ministro.

Pelo contrário, disse que se implementa um trabalho conjunto, essencialmente técnico, de revisão com o sector privado das ofertas europeias.

Sobre a posição de parlamentares de esquerda da UE que pedem a suspensão das negociações em represália pelo impeachment de Dilma Rousseff, o funcionário disse que os Parlamentos não são o Executivo.

“Os Parlamentos não são órgãos que dependem e obedecem a um governo. Representam diferentes opiniões da sociedade, igual ao nosso Parlamento”.

Para Gauto, o fim da crise política no Brasil ajudará a encontrar uma solução para a acefalia existente no bloco regional.

O alto diplomata destacou a importância do encontro de Michel Temer com o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, em Nova York, à margem da assembleia geral da ONU.

“Entretanto, continuamos trabalhando nos aspectos técnicos. O Mercosul está activo”, comentou.

Gauto disse que Argentina, Brasil e Paraguai continuam esperando uma resposta do Uruguai sobre as alternativas apresentadas para solucionar a crise.

“Não existe prazo, mas as definições devem se dar o mais rápido possível. São decisões políticas que estão sendo objecto de gestões no mais alto nível”, observou. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA