Zaire: Administrador denuncia vandalização das torres de energia do ciclo combinado

Jeremias Timóteo, Administrador Municipal do Nzeto (Foto: Angop)

O administrador municipal do Nzeto, província do Zaire, Jeremias Timóteo, denunciou hoje, terça-feira, que elementos desconhecidos pilharam, há dias, cabos de cobre que sustentam em terra as torres de transporte de energia eléctrica do projecto do ciclo combinado instaladas no troço Soyo/Nzeto/Luanda.

Em declarações à Angop, o responsável admitiu a possibilidade da existência de uma rede de malfeitores devidamente organizada, que se dedica ao roubo e à comercialização dos fios de cobre que sustentam as torres instaladas no referido itinerário.

Segundo disse, numa vistoria efectuada na semana passada pela empresa chinesa encarregue na construção da linha de transporte de energia de alta tensão neste troço, verificou-se que cerca de 40 torres ficaram sem os fios de sustentação em terra, fruto desta acção dos meliantes.

“No meu entender, estamos perante uma rede de malfeitores que se dedica ao extravio e comercialização deste material, dada a frequência e a quantidade que tem sido retirada”, alegou, para quem os prejuízos materiais causados por esta acção estão ainda por avaliar pela empresa responsável.

Enquanto isso, Jeremias Timóteo informou que fruto das investigações levadas a cabo pelos serviços afins na localidade, foi possível deter um dos supostos autores desta acção criminosa. “Prosseguem as investigações para o desmantelamento da quadrilha”, assegurou.

Assegurou que medidas foram já accionadas para desencorajar tais procedimentos, como o reforço da guarnição e iluminação no perímetro das duas subestações de energia eléctrica em construção na localidade.

Apelou a população local a denunciar estas e outras práticas anti-sociais, devendo os cidadãos colaborar na materialização deste projecto que deverá resolver definitivamente a problemática da energia eléctrica da região e concorrer para a sua industrialização.

A central a gás do ciclo combinado do Soyo está projectada para a geração de 750 Megawwats de energia eléctrica para a província e o país, numa primeira fase, cujo arranque está previsto para 2017.

Para o efeito, uma subestação de alta tensão que vai assegurar a distribuição da energia para Luanda e outras localidades da província do Zaire está a ser concluída na periferia da vila do Nzeto, assim como uma outra de baixa tensão que vai atender o referido município.

No troço Soyo/Nzeto/Capari/Luanda, num percurso de aproximadamente 400 quilómetros, foram montadas torres geminadas de transporte de electricidade, estando em curso o mesmo trabalho no itinerário Nzeto/Mbanza Congo. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA