Visita do Presidente guineense ao Sudão “agita” redes sociais

José Mário Vaz, em campanha em Bissau. Vaz ganhou as eleições presidenciais em 2014 (REUTERS)

A recente visita do Presidente da Guiné-Bissau ao Sudão continua a provocar polémica e reacções no país.

Os guineenses não param de fazer comentários e reflexões sobre a deslocação de José Mário Vaz ao país presidido por Al-Bashir, sobre o qual impede um mandado de captura internacional por violações de direitos humanos.

De regresso ao país, após uma visita de pouco mais de 24 horas, Vaz disse que não lhe interessa a situação interna do Sudão e do seu Presidente, Al-Bashir, mas sim “resolver os problemas económicos da Guiné-Bissau”.

Para muitos guineenses que têm manifestado as suas opiniões nas redes sociais, a visita do Presidente da República da Guiné-Bissau ao Sudão revela uma ligação política com os chefes de Estado africanos, “que não inspiram exemplos plausíveis, quanto à observância das regras e o exercício da democracia nos seus respectivos países, o que não deixa de ser preocupante”.

Mas há quem defende o contrário.

“Tudo que o Chefe de Estado está a fazer é algo nobre para o país e visa, sobretudo, salvar a Guiné-Bissau da situação económica em que se encontra, sem pôr em causa os princípios democráticos”, escreve um internauta.

Antes da sua deslocação ao Sudão, José Mário Vaz visitou, na semana passada, a República do Congo, onde disse ter recebido “conselhos” do seu homólogo congolês, Denis Sassou Nguesso, sobre a crise política na Guiné-Bissau. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA