Vídeo de menino resgatado de destroços em Aleppo, na Síria, provoca revolta nas redes sociais

(DR)

Um vídeo de um pequeno garoto, ensanguentado e coberto de pó, que havia sido resgatado depois de um aparente ataque aéreo na cidade síria de Aleppo, provocou revolta e preocupação nas redes sociais nesta quinta-feira.

Sentado sozinho numa ambulância, o menino, identificado por médicos como Omran Daqneesh, de 5 anos, parecia confuso e espantado, olhando em silêncio, enquanto tentava limpar o sangue da sua cabeça, parecendo não ter consciência dos seus ferimentos.

No Twitter, Charlene Deveraturda (@malasadasbooks) postou uma imagem do menino e escreveu: “Pobre bebê. Mais ou menos da idade do meu neto. Eu não posso imaginar. A imagem não sai da minha cabeça. #syrianboy #Syria #peace.”

A hashtag #Syrianboy (menino sírio, em tradução literal) foi um dos principais tópicos do Twitter nos Estados Unidos e no Reino Unido. Mais de dez tuítes foram enviados a cada minuto com a hashtag, de acordo com a empresa de análise de redes sociais Zoomph.

Muitos associaram as imagens da criança com a foto de Aylan Kurdi, o menino sírio cujo corpo foi encontrado numa praia turca no ano passado.

O vídeo de Omran e outras crianças sendo retiradas de destroços provocou inquietação e condenação gerais.

O usuário Malcolmite ([email protected]) escreveu: “Não é importante se vai se tornar viral, o que é importante é o que vai ser feito sobre isso. #syrianboy”.

Sara Assaf ‏(@SaraAssaf) disse: “Então, se esse garotinho aterrorizado se tornar um terrorista um dia… De quem é a culpa? #SyrianBoy #Aleppo #Injustice”.

A cidade de Aleppo, dividida em áreas controladas pelo governo e pelos rebeldes, se tornou o foco dos combates na Síria.

As áreas rebeldes sofrem ataques aéreos pesados diariamente, à medida que as forças do governo tentam reconquistar território perdido há duas semanas no sudoeste de Aleppo.

O vídeo, feito na quarta-feira na vizinhança de Al Qaterji, controlada por rebeldes, mostra um agente de socorro tirando o garotinho de um edifício e o colocando sentado dentro de uma ambulância, antes de voltar correndo para a cena do bombardeio.

O garoto fica sentado sozinho, atordoado, antes de duas outras crianças serem levadas para o veículo. Um homem com sangue no rosto se junta ao grupo.

O fotógrafo de Aleppo Mohammed Raslan Abu Sheikh, que estava no local, disse que as pessoas ficaram eufóricas quando Omran foi tirado dos destroços vivo com o restante da sua família de seis pessoas. (REUTERS)

(Reportagem da TV Reuters e da redacção em Beirute; Reportagem adicional de Angela Moon em Nova York)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA