Suazilândia: Iniciou 36ª Cimeira da SADC

(SADC)

Os trabalhos da 36ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) iniciaram na manhã desta terça-feira, no Palácio de Lositha, em Mbabane, Reino da Suazilândia.

O Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, faz-se representar neste conclave pelo Vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente.

A Cimeira arrancou apenas com a presença de cinco Chefes de Estado, nomeadamente da África do Sul, Zimbabwe, Moçambique, Namíbia e Botswana, para além do anfitrião do evento, o Rei Mswati III.

Os outros estadistas se fazem representar na reunião por vice-presidentes ou ministros dos Negócios Estrangeiros.

A Cimeira, que encerra na quarta-feira, decorre sob o lema “Mobilização de Recursos para os Investimentos em Infra-estruturas Energéticas Sustentáveis com vista a uma Industrialização Inclusiva e Próspera da Região”.

A secretária Executiva da SADC, Stergomena Laurenx Tax, proferiu a intervenção introdutória da Cimeira, seguida de uma outra de boas vindas do anfitrião da 36ª Cimeira, sua Majestade o Rei Mswati III, do Reino da Swazilândia.

Na ocasião, o Rei Mswati III realçou os avanços registados pela SADC no que tange a integração regional e manifestou a conjugação de esforços por parte dos estados membros, para a melhoria da qualidade de vida dos povos da região.

Outra intervenção foi proferida pelo Presidente cessante da SADC, Seretse Khama Ian Khama, Chefe de Estado do Botswana, que procedeu a entrega do distintivo de Presidente em Exercício da SADC ao novo Presidente da organização regional, o Rei Mwsati III, do Reino da Swazilândia.

A Presidente da Comissão da União Africana, Nkosazana Dlamini Zuma, também interveio no conclave, a par do secretário Executivo da Comissão Económica para África, Carlos Lopes.

A cerimónia de abertura, bastante concorrida, foi marcada por momentos culturais intercalados e com a entoação dos hinos do Reino da Swazilândia e o da SADC, este último cuja letra é de autoria do angolano Manuel Gomes dos Santos.

Constituída pelos chefes de Estado ou de Governo de todos os Estados membros, a Cimeira é a instituição suprema de formulação de políticas da SADC. Responde pela orientação política global e pelo controlo das funções da SADC.

Entre os assuntos em debate, destaque para o processo de industrialização da região austral de África, as contribuições dos Estados membros que se encontram atrasadas, bem como as estratégias da segurança alimentar e nutricional da região.

A estratégia de segurança alimentar e nutricional é formulada para implementar uma variedade de políticas e programas da SADC que visam abordar, de forma global, as questões relacionadas com a segurança alimentar e nutricional com base numa perspectiva multisectorial.

Integram a SADC Angola, África do Sul, Botswana, República Democrática do Congo (RDC), Lesotho, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Tanzânia, Zâmbia, Zimbabwe e Seicheles. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA