Presidente reforça apelo à paz e democracia

(Facebook)

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, apelou ontem à mobilização dos angolanos para “um novo momento nacional” em que cada cidadão, no sector público ou privado, esteja engajado na consolidação da paz, da democracia e do desenvolvimento económico e social do país.

Numa breve declaração, reagindo à mensagem de feliz aniversário lida pelo Vice-Presidente da República, Manuel Vicente, José Eduardo dos Santos defendeu “uma nova atitude e comportamentos positivos” em prol do bem-estar dos cidadãos, do fortalecimento e prosperidade das famílias e do crescimento e afirmação de Angola a nível internacional.

Na mensagem, Manuel Vicente destacou as qualidades de liderança e visão estratégica de José Eduardo dos Santos na construção de uma sociedade “justa, fraterna, solidária e inclusiva” e referiu-se à Moção de Estratégia do Líder, recentemente adoptada pelo Congresso do MPLA, como um instrumento de grande alcance e importância histórica, pela sua dimensão política, económica e social.

“Essa moção traduz fielmente o seu pensamento expresso por diversas vezes, segundo o qual se deve reflectir sobre o passado, olhar com lucidez o presente e elaborar com coragem e visão estratégica os projectos para o futuro”, salientou Manuel Vicente, dirigindo-se ao Presidente José Eduardo dos Santos.

O Vice-Presidente associou ao perfil de liderança de José Eduardo dos Santos, a “importância que atribui à coerência e persistência na defesa de um ideal, por forma a sensibilizar e mobilizar todas as forças vivas do país em torno de um projecto de sociedade que visa garantir a segurança e o bem-estar das populações”.

Manuel Vicente destacou também os “enormes progressos” que Angola tem registado a nível da projecção internacional que se traduz, como referiu, na frequência com que recebe personalidades de todo o mundo para simples consultas políticas ou buscando soluções para a resolução de conflitos.

Mais uma lição

Presente na cerimónia, o novo vice-presidente do MPLA, João Lourenço, comentou o discurso feito pelo Presidente da República como “mais uma lição” a ser “acatada e seguida”. “Todos os pronunciamentos do Presidente da República são lições para todos nós”, defendeu João Lourenço, sublinhando que se o Chefe de Estado e líder do partido defende um “novo posicionamento na nossa vida política, social e económica, significa que é nosso dever não só respeitá-lo e cumpri-lo”.
Cada um no seu posto, referiu o “número dois” do MPLA, deve dar o seu melhor para atingirmos o grande objectivo que é fazer de Angola um grande país. João Lourenço considerou natural que o desafio lançado pelo Presidente da República aumente as responsabilidades do MPLA, por ser o partido maioritário e que está no exercício da governação.

É inoportuno fazer política

Entre os convidados também esteve Abel Chivukuvuku. O presidente da CASA-CE, coligação política representada na Assembleia Nacional, considerou “inoportuno fazer pronunciamentos políticos” numa ocasião em que se quer apenas “solidarizar com o aniversariante”.
“É o dia de aniversário do cidadão José Eduardo dos Santos e como tal nós nos solidarizamos com o seu aniversário, como qualquer um de nós também tem o seu aniversário. Desejamos-lhe parabéns, felicidades e que tenha longos anos de vida”. Diante da insistência de jornalistas para um olhar sobre o apelo feito pelo Presidente a um “novo momento nacional”, Chivukuvuku disse ser “muito importante que haja consistência e coerência naquilo que se diz e o no que se faz”.

Governar com o povo

Para Roberto de Almeida a ocasião é propícia para “desejar boa saúde” ao Presidente José Eduardo dos Santos, para que “continue a prestar bons serviços à nação angolana”. Sobre o apelo do Presidente a um novo momento nacional, Roberto de Almeida considerou ser uma “sequência do que foi determinado no Congresso do MPLA, sobre a entrada numa nova etapa em que o partido deixa de “governar para o povo, para governar com o povo”.“É, na verdade, uma intenção que vai no seguimento desta manifestação no Congresso e que engaja todas aquelas entidades com responsabilidades no país, para que as assumam com um espírito mais decidido e determinado de modo a materializar todos os programas e projectos aprovados pelo partido para a boa governação do país”.
Numa cerimónia restrita, no Salão Nobre do Palácio da Cidade Alta, por ocasião do 74º aniversário de José Eduardo dos Santos, o casal presidencial recebeu cumprimentos de familiares, além de várias personalidades da vida pública nacional, entre titulares de soberania, deputados, magistrados, ministros, diplomatas e antigos combatentes.
Após a cerimónia os convidados participaram num jantar de gala organizado pelo Movimento Nacional Espontâneo, animado por alguns artistas de referência. (Jornal de Angola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA