Presidente das Filipinas ameaça deixar as Nações Unidas

(EURONEWS)

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ameaçou deixar as Nações Unidas depois de a organização instar o país a pôr fim à onda de execuções extrajudiciais de pessoas suspeitas de crimes relacionados com drogas.

Foi desta forma que Duterte reagiu ao relatório da organização humanitária, divulgado há dois dias, no qual refere que alegados traficantes e toxicodependentes “devem ser julgados em tribunal e não por homens armados nas ruas”.

“Eu não quero ofender as Nações Unidas. Mas talvez tenhamos de nos separar. Deixaremos a ONU se nos faltar ao respeito”, afirmou o presidente filipino.

As Nações Unidas consideram que o plano antidroga lesa os direitos e as liberdades fundamentais dos filipinos.

Para a ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos filipina, Leila de Lima, o problema é estrutural: “Há corruptos em todas as estruturas do nosso governo – legisladores, procuradores e juízes, é por isso que o nosso sistema de justiça não funciona e é por isso que essas ações são incentivadas.”

Desde que Rodrigo Duterte foi eleito presidente, em maio, mais de 850 pessoas foram mortas e cerca de 8000 detidas.
Destas, 496 morreram em operações policiais e mais de duas centenas foram executadas por homens armados não identificados.

74 cadáveres foram encontrados com letreiros a dizer traficantes. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA