Presidente angolano pede renovação de confiança no MPLA

Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, discursando no encerramento do VII Congresso Ordinário do Partido (Foto: Pedro Parente)

O Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, encerrou esta manhã o VII Congresso do MPLA onde defendeu que o partido está preparado para “enfrentar os desafios do futuro”.

O líder do Movimento Popular de Libertação de Angola foi reconduzido no cargo com 99,6% dos votos, no VII congresso ordinário do partido com 2543 a favor, cinco contra e cinco abstenções.

A nova composição do Comité Central do partido, alargado de 331 para 363, foi também aprovada, com 2511 votos a favor, 37 contra e sete abstenções.

Aos 2500 delegados que o MPLA, o Presidente angolano José Eduardo dos Santos descreveu o MPLA como um “partido sério, um partido de trabalho, que não foge às suas responsabilidades com quadros capazes e força para realizar aquilo que recebe como orientação, como desejos expressos pela vontade de todos os cidadãos de Angola”.

“Ao sairmos deste VII congresso ordinário do MPLA com esta boa disposição, com esta vontade de ir para a frente e realizar o nossos objectivos estratégicos e objectivos imediatos, o que quero pedir é continua lealdade aos princípios, aos objectivos definidos pelo partido”, pediu José Eduardo dos Santos acrescentando o pedido de renovação de “confiança no MPLA, com vista a governar para todos e alcançar a prosperidade e o bem-estar para todos”.

O Presidente angolano alertou ainda os membros do seu partido para a necessidade de “disciplina, força e respeito pelas orientações de órgãos superiores”, mas ainda “respeito na relação com o povo porque afinal nós estamos aqui, muitas vezes em cargos de grande responsabilidade porque somos servidores. Viemos para servir a nação, para servir o povo e não nos aproveitar apenas dos nossos cargos para nos servir.”

Na terça-feira acontece a primeira reunião do Comité Central eleito, no qual serão conhecidos o novo vice-presidente do partido, o secretário-geral e os membros do Bureau Político. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA