Preços dos produtos básicos desesperam consumidores em Luanda

(DW)

Os preços dos produtos básicos no mercado luandense registam um aumento que se reflecte nos alimentos, com o saco de 25 quilogramas de arroz, que no início do ano custava 2.500 kwanzas, a ser vendido a dez mil kwanzas.

Por uma caixa de coxas de frango e entrecosto, nos armazéns grossistas da zona da Cometa, em Viana, pagam-se 7.700 e 12. 000 kwanzas, respectivamente.

Neste período, a ronda da Angop constatou que o consumidor desembolsa avultados valores para a aquisição de bens alimentares.

O cantineiro Costa Morais diz estar a obter bons lucros com a venda de detergentes e bens alimentares.

Para a caixa de massa, o consumidor gasta 4.000 kwanzas, contra os 1.200 kwanzas anteriores.

Economista aponta factores macro-económicos e aduaneiros

Os factores macro-económicos e aduaneiros são os principais motivos do desequilíbrio dos preços nos mercados informais e lojas, segundo o economista Manuel Lourenço.

“A produção interna não consegue satisfazer a procura que acaba por ser maior. os negociantes aproveitam para especular. Muitos negociantes estão a aproveitar-se da situação para compensar os seus lucros”, salientou.

O especialista acredita que a procura e oferta vão ganhar equilíbrio quando haver aumento da produção interna e a consequente redução das importações.

Comércio alerta agentes para o combate à especulação

O inspector-geral do Comércio, Heleno Antunes, garante que a instituição vai continuar a inspeccionar as pequenas e grandes superfícies comerciais no país.

O objectivo é combater a especulação dos preços dos produtos da cesta básica. Heleno Antunes falava numa Mesa Redonda na Rádio Nacional de Angola, sobre a fiscalização dos preços nas grandes superfícies.

Os operadores comerciais que optarem pela especulação de preços estão sujeitos a medidas punitivas e correctivas, pelos órgãos competentes de inspecção e fiscalização. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA