Pólo de Desenvolvimento Turístico do Futungo de Belas e Mussulo (vídeo)

(DR)

A cerca de 11 quilómetros da cidade de Luanda, foi lançada, no ano passado, a primeira pedra do projecto de requalificação do perímetro desanexado do Futungo de Belas, também designado Pólo de Desenvolvimento Turístico do Futungo de Belas e Mussulo, objecto de um plano de reordenamento urbano com uma duração estimada em dez anos de desenvolvimento. Com este projecto, espera-se assim estabelecer um novo padrão de vida para os habitantes de Luanda, redefinindo e reordenando o uso residencial e turístico da zona.

O projecto ocupa uma área de 537 hectares, desde o largo da Corimba até à ponte do Benfica, e vai abarcar a construção de lotes para habitação familiar, edifícios para comércio e serviços, áreas dedicadas ao lazer e de apoio ao turismo, como hotéis, resorts, centros de convenções e marinas, além de estacionamentos e zonas verdes. No total, o novo pólo de desenvolvimento está planeado para 49.799 pessoas, das quais cerca de 30.309 são residentes e 19.470 não residentes.

Ao mesmo tempo, o projecto inclui também a reparação e construção de infra-estruturas urbanas, nomeadamente para abastecimento de água e de energia eléctrica, estradas e rede de esgotos, como é o caso da construção de um centro de tratamento de águas residuais para diminuir o efeito negativo na costa que banha o perímetro. Neste espaço será ainda erguido o Museu da República, que reunirá a residência e o escritório do primeiro Presidente de Angola, possibilitando assim a preservação de todo o acervo histórico do país, desde a sua formação até aos dias de hoje. (Admbelas)

2 COMENTÁRIOS

  1. Isso é muito bonito, só que o Futungo não é Abu Dhabi nem Angola São o Emirados Árabes Unidos. ..
    O Povo Angola não está preparado, até porque sendo um complexo com zonas culturais… É preciso perceber que a cultura angolana vem de arigens é preciso falar com os que conhecem realmente Angola e os rituais, não são as extravagâncias do ocidente num país POBRE a perder IDENTIDADE, e mais caso o projeto vá realmente em frente… Vejam bem quem vais fiscalizar porque as outras urbanizações novas de Angola tem tanta qualidade como os bairros sociais dos subúrbios de Lisboa

DEIXE UMA RESPOSTA