País mobiliza-se para o registo eleitoral

Posto de actualização do registo eleitoral (arq) (Foto: Pedro Parente)

Centenas de cidadãos angolanos continuam a manifestar diariamente, em várias localidades do país, disponibilidade para participarem activamente do processo de actualização do registo eleitoral, que se inicia oficialmente a 25 deste mês.

Em vários extractos da sociedade, o registo eleitoral presencial tornou-se já um assunto recorrente e vários apelos têm sido feitos para garantir um envolvimento efectivo.

No âmbito das eleições gerais de 2017 (o quarto pleito da história do país), o processo de actualização do registo decorrerá de 25 de Agosto de 2016 a 31 de Março de 2017.

Preve-se um interregno entre 20 de Dezembro de 2016 e 5 de Janeiro de 2017. O cadastramento deve abranger quase 11 milhões de votantes.

A respeito desse processo, os participantes à III Reunião Ordinária do Comité Provincial da JMPLA no Zaire, realizada nesta sexta-feira, em Mbanza Congo, recomendaram o envolvimento em massa dos membros da organização.

De acordo com o comunicado do encontro, a organização juvenil do MPLA entende que a participação massiva dos jovens da organização neste processo garantirá nova vitória ao actual partido no poder.

Já na província do Bié, o presidente do Conselho Municipal da Juventude (CMJ) no Cunhinga, 30 quilómetros a norte do Cuito, Isaías Simony, disse esperar pela contribuição dos partidos políticos na sensibilização dos jovens.

Em declarações à Angop, chamou atenção aos representantes dos partidos políticos no Cunhinga, para colaborarem com as instituições do Estado na sensibilização.

Informou que têm feito esforços para mobilizar a juventude, a partir das instituições escolares e religiosas, nos mercados e nas comunidades, informando os eleitores, sobretudo os novos, sobre a importância da actualização de dados.

Por sua vez, 329 estudantes, entre os quais 151 mulheres, afectos ao Instituto Médio de Administração e Gestão “António Jacinto”, província do Namibe, asseguraram já a sua participação nesse processo de actualização.

Segundo a directora pedagógica da instituição do II ciclo do ensino secundário, Ruth Caluvi, os alunos de diversos cursos (a partir de 18 anos) estão preparados para dar o contributo cívico e actualizar os dados eleitorais.

Disse que este é um dever de todos os cidadãos, sublinhando que dará o direito a todos de votar nas eleições de 2017 e de escolher, de forma livre, o partido e o candidato para presidir o país.

Na mesma senda, jovens de vários stratos sociais foram esclarecidos nesta sexta-feira, na província da Lunda Sul, sobre a importância do voto, durante uma palestra promovida pelo Comité Municipal da JMPLA em Saurimo.

A palestra, orientado pelo representante da Comissão Nacional Eleitoral na Lunda Sul, Cláudio Papo Seco, visou esclarecer os jovens sobre o comportamento a adoptar durante e depois das eleições de 2017.

Visou ainda explicar os procedimentos que devem ser adoptados diante das urnas. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA