OMS defende empresa pública para administrar hospitais de Cabo Verde

Fortaleza da Cidade Velha, na ilha de Santiago (RFI/Liliana Henriques)

Organização Mundial da Saúde defendeu a necessidade de se criar uma empresa pública para administrar os hospitais de Cabo Verde e aumentar a sua eficácia. O governo não apreciou a proposta apresentada na reunião alargada do Ministério da Saúde e Segurança Social, a decorrer na Cidade Velha, até sexta-feira.

Esta terça-feira, o representante da Organização Mundial da Saúde em Cabo Verde, Mariano Salazar Castellon, defendeu a necessidade de se criar uma empresa pública para administrar os Hospitais do país e aumentar o seu nível de eficácia. O conferencista falou durante o encontro de dirigentes da saúde e segurança social, a decorrer na Cidade Velha, até sexta-feira.

O Governo torceu o nariz à proposta da OMS e o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, avançou hoje que a uniformização dos procedimentos de gestão hospitalar passa pelo Conselho dos Hospitais que deve ser instituído, muito brevemente.

Esta quarta-feira, os temas em cima da mesa foram as listas de espera e evacuações internas, depois de na véspera se ter também destacado a integração da saúde mental nos cuidados de saúde primários. O ministro da Saúde disse que o problema de transporte para evacuação de doentes está a ser solucionado.

As prioridades para o sistema nacional de saúde e para a segurança social devem ser conhecidas, na próxima sexta-feira, dia em que termina a reunião alargada do Ministério da Saúde e Segurança Social. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA