Namibe ganha duas fábricas

O país exportou para vários países 3.797 metros cúbicos do minério até Maio. (Foto: D.R.)

As unidades que estão vocacionadas para o corte e polimento de mármore são iniciativas desenvolvidas pela empresa angolana Silva e Silva.

Pelo menos duas fábricas de polimento de mármores e granitos começam a funcionar em Dezembro próximo, na província do Namibe, numa iniciativa de dois grupos empresariais nacionais, segundo fez saber esta semana, à Angop, o director provincial da Indústria e Geologia e Minas, Armando Valente.

O responsável que não precisou os custos do investimento do projecto nem a sua capacidade de produção, frisou que, as empresas vão dedicar-se a exploração de mármore e granitos locais.

As obras das fábricas, erguidas pelo grupo empresarial Silva e Silva, na localidade do Giraul de baixo, e Avozinha Trading no km 9 via Lubango-Namibe, tiveram o seu início em 2014, estando neste momento já concluída a estrutura metálica.

Armando Valente considera que no actual contexto económico e social, o sector da Geologia e Minas afigura-se importante na geração de novos empregos, contribuindo para a melhoria do bem-estar da população e perspectiva maior contributo do seu sector na arrecadação de receitas para os cofres do Estado.

“O sector da Geologia e Minas tem uma palavra a dizer na diversificação da economia e a única solução passa pelo aumento considerável do leque de produtos nacionais exportáveis, além do petróleo. “Apostemos seriamente na agricultura, nas pescas, na indústria transformadora,” referiu o dirigente.

O país exportou para vários países 3.797 metros cúbicos de rochas ornamentais em Maio deste ano, mais do dobro face ao mês anterior, segundo um relatório do Ministério da Geologia e Minas. Em causa está a produção e venda de rochas utilizadas na construção, como mármores e granitos, sobretudo provenientes do Sul de Angola com destinos a Portugal, Índia, China, Egito e outros países. (jornaldeeconomia)

DEIXE UMA RESPOSTA