Munícipes esperam que congresso do MPLA satisfaça aspirações dos angolanos

Milhares de Militantes e Simpatizantes do MPLA (Ilustração) (Foto: Angop)

Cidadãos residentes no distrito urbano da Ingombota, em Luanda, esperaram que do VII Congresso ordinário do MPLA, a realizar-se de 17 a 20 do corrente, saiam decisões que vão de encontro com as aspirações do povo angolano.

Contactados pela Angop, os munícipes disseram esperar que do encontro do MPLA, partido dirigente no país, saiam decisões que vão de encontro com aquilo que os angolanos precisam.

Para Luís de Menezes, residente no bairro da Ilha do Cabo “os partidos políticos são chamados a assumir as suas responsabilidades quando vencem o pleito eleitoral, e o MPLA, a partir das ultimas eleições, recebeu um mandato para dirigir o país, por isso o congresso é muito importante porque vai ser feito um balanço dos seus programas e planos de desenvolvimento.

Por sua vez, Manuel dos Prazeres, do Maculusso, afirma que os delegados ao congresso devem estar dispostos a contribuir, com o seu saber e acções, para que se ultrapasse o actual momento económico e financeiro do país.

“ Os delegados devem apresentar, no magno evento, propostas concretas que contribuam para a solidificação da unidade nacional e fortalecimento da jovem democracia”, opinou a jovem do bairro do Patrice Lumumba, Joana da Conceição .

O morador do bairro da Kinanga, Bento dos Santos “ Kangamba” recordou que as prioridades do governo angolano para o quinquénio 2012/2017 assentam em seis grandes eixos, nomeadamente “consolidar a paz, reforçar a democracia e preservar a unidade e a coesão nacional”, “garantir os pressupostos básicos necessários ao desenvolvimento”, “melhorar a qualidade de vida dos angolanos” e “elevar a inserção da juventude na vida activa”.

A manutenção da paz social, a consolidação da democracia no país, bem como a resolução dos problemas existentes nas comunidades deve ser alvo das atenções dos congressistas, disse o ancião, Miguel da Conceição Gomes do bairro da Ingombota (sede).

O VII Congresso Ordinário do MPLA dedicará uma atenção particular aos aspectos imanentes à sua qualidade de Partido detentor do poder executivo e aos desafios que se colocam aos angolanos e ao Partido, nos próximos tempos, dando particular ênfase ao Plano Nacional de Desenvolvimento de médio prazo (PND 2013-2017) e o de Longo Prazo (Angola 2025).

O VII Congresso Ordinário do MPLA contará com uma participação de 2.591 delegados, representando o universo dos militantes do Partido, organizados de Cabinda ao Cunene e residentes no estrangeiro. (

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA