MPLA reelege José Eduardo dos Santos Presidente

José Eduardo dos Santos, candidato a presidente do MPLA (Foto: Pedro Parente)

O 7º congresso ordinário do MPLA reelege, hoje, em Luanda, José Eduardo dos Santos Presidente da maior formação política angolana, a escassos dias do 74º aniversário do nascimento do líder político.

Único candidato à presidência do partido, fundado em 1956, José Eduardo dos Santos substituiu António Agostinho Neto no cargo, em Setembro de 1979, após o falecimento do primeiro.

O congresso do MPLA elegeu igualmente os membros do Comité Central, que foi alargado de 311 para 363 membros. Jovens e mulheres despontam entre os novos integrantes da estrutura partidária.

Na sua primeira reunião, o Comité Central do MPLA, sob proposta do Presidente eleito, vai eleger os órgãos dirigentes do partido, designadamente o vice-presidente, o Bureau Político e o respectivo Secretariado.

Nascido em Luanda, a 28 de Agosto de 1942, José Eduardo dos Santos foi indicado Presidente do MPLA pelo Comité Central a 20 de Setembro de 1979, com a morte de António Agostinho Neto.

No dia seguinte, foi investido nos cargos de Presidente do MPLA-Partido do Trabalho, de Presidente da República Popular de Angola e de Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA).

A 9 de Novembro de 1980 foi eleito Presidente da Assembleia do Povo (Parlamento), órgão máximo do poder do Estado, tendo sido reconfirmado em todos esses cargos pelo 1º Congresso Extraordinário do MPLA – Partido do Trabalho.

Do seu mais recente percurso político, enquanto líder do MPLA, despontam duas datas marcantes da história de Angola.

A primeira foi a assinatura, em Lisboa, a 31 de Maio de 1991, do Acordo de Bicesse, ao lado do antigo líder da UNITA, Jonas Savimbi, falecido em 22 de Fevereiro de 2002.

O segundo momento de maior destaque nos últimos anos traduziu-se na assinatura, em Luanda, no dia 4 de Abril de 2002, do Acordo Geral de Paz entre o Governo angolano e a UNITA, depois da morte, em combate de Jonas Savimbi.

Com a sua reeleição como Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos será o candidato da força política às eleições gerais do próximo ano.

A história das eleições em Angola regista que as primeiras legislativas multipartidárias tiveram lugar de 29 a 30 de Setembro de 1992. O MPLA saiu vencedor, com 54 porcento.

Já nas presidenciais, realizadas em simultâneo, José Eduardo dos Santos contabilizou 49 porcento, contra 41 porcento de Jonas Savimbi, facto que ditaria a realização de uma segunda volta. Esta nunca viria a acontecer, devido ao retorno à guerra, protagonizada pela UNITA.

Os angolanos voltaram às urnas de 5 e 6 de Setembro de 2008, já sem Jonas Savimbi, tombado em combate, a 22 de Fevereiro de 2002. Tratou-se apenas de eleições legislativas, que o MPLA venceu com 82 por cento dos votos. A UNITA conseguiu apenas 10 por cento.

A Constituição angolana promulgada em 2010 aboliu definitivamente as eleições presidenciais, substituídas por eleições gerais, para a eleição do Presidente da República, o vice-presidente e os deputados à Assembleia Nacional. O cabeça de lista do partido mais votado é automaticamente o Presidente da República. O número dois da lista é o vice-presidente.

Nas eleições de 31 de Agosto de 2012, o MPLA conquistou 71,84 por cento dos votos. Em simultâneo, José Eduardo dos Santos e Manuel Domingos Vicente foram eleitos Presidente e vice-presidente da República, respectivamente. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA