Militantes do MPLA reafirmam apoio à liderança de José Eduardo dos Santos

(DR)

O primeiro secretário provincial do MPLA em Luanda, Higino Lopes Carneiro, reafirmou neste sábado, no KM 14, município de Viana, o apoio incondicional dos militantes do partido à candidatura de José Eduardo dos Santos para a liderança do partido no congresso ordinário deste mês.

Higino Carneiro, que falava num acto político de massas, considerou o Presidente José Eduardo dos Santos como sendo o candidato certo para liderar os destinos do partido no poder em Angola.

O político realçou, na ocasião, a forte organização do seu partido. “O MPLA sempre foi organizado, disciplinado, ordeiro, mensageiro da paz, da verdade, da fraternidade e da solidariedade”.

Por isso, notou, não se pode confundir com outras forças políticas que se constituíram apenas pela ganância do poder.

“Defendemos ideais, temos objectivos e Angola respeitada só foi possível graças à liderança do MPLA, por isso, não se deixem enganar”, vincou.

Adiantou que o partido está a trabalhar no sentido de vencer as eleições gerais de 2017 e que as mesmas decorram sem sobressaltos.

Para isso, disse ser necessário que os militantes do partido participem activamente no processo de actualização do registo eleitoral, que inicia a 25 deste mês, em todo o país.

“É necessário ir aos postos de registo para ver se tudo está correcto e fazer a prova de vida”, realçou.

Com o acto político de massas de Viana, de acordo com o primeiro secretário do MPLA em Luanda, cumpriu-se com o programa que o secretariado da comissão executiva provincial elaborou e aprovou.

“Com esta actividade de Viana, fechamos o ciclo de saudações e também de apoio ao camarada José Eduardo dos Santos à presidência do MPLA no Congresso que terá lugar na próxima semana” declarou.

Aproveitou a ocasião para endereçar as suas condolências à família do jovem que pereceu há dias na localidade do Zango.

Apelou aos cidadãos de Viana, em particular aos militantes do MPLA para terem calma e a não lutarem por um espaço de terra e evitar entrar no perímetro de segurança do aeroporto internacional em construção naquela localidade, que será um dos maiores de África. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA