Lunda Sul: Começa combate contra os ”fantasmas” na função pública

Acto de abertura do registo presencial dos funcionários públicos (Foto: HÉLDER DIAS)

A província da Lunda Sul, localizada no centro da região leste do país, deu início hoje, segunda-feira, em Saurimo, ao processo de recadastramento dos funcionários públicos locais, que visa o controlo efectivo e actualização da base de dados e do processamento salarial correcto, bem como acabar com trabalhadores “fantasmas”.

Para assegurar o processo que há cerca de um ano decorre no país sob a égide do Ministério das Finanças, foram constituídas cinco brigadas, compostas por sete elementos cada, dos quais dois técnicos de informática, igual número de documentalistas e um coordenador.

O recadastramento abrange funcionários públicos e agentes administrativos afectos aos distintos departamentos públicos do governo provincial e às direcções provinciais dos mais diversos sectores do aparelho do estado, com a finalidade de conferir a efectividade real dos mesmos.

Na Lunda Sul o processo decorrerá em simultâneo durante trinta dias nos quatro municípios que compõem a província, nomeadamente Cacolo, Dala, Muconda e Saurimo.

Na cerimónia de abertura, que teve lugar na sala de reuniões do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (Inefop), a governadora da Lunda Sul, Cândida Narciso, disse que o processo vai permitir criar um sistema de controlo mais eficaz no funcionamento público e reduzir eventuais irregularidades que ainda podem estar a acontecer em algumas instituições do Estado.

“Este processo resulta de facto de existirem ainda no nosso seio aquela problemática dos funcionários fantasmas, desta maneira, estaremos em condições de verdadeiramente sabermos quem são, infelizmente temos pessoas que já faleceram cujo salário beneficiam alguns indivíduos de forma ilegal”, lamentou.

Na província, segundo dados da Administração Publica, Trabalho e Segurança Social (APTSS), cerca de 6.838 funcionários e agentes administrativos serão recadastrados ao nível da província da Lunda Sul, sendo mil e 71 do Governo Provincial, 1.334 da Saúde, 3.267 da Educação, 249 da Administração municipal de Cacolo, 305 de Muconda, 330 em Cacolo, e 282 em Saurimo.

Neste processo, todos os órgãos desconcentrados do Governo Provincial, nomeadamente, Delegações das Finanças, Justiça, Procuradoria-Geral e os Tribunais, bem como militarem e paramilitares, terão o controlo e o acompanhamento do recadastramento ao nível central.

Presenciaram o acto do lançamento deste processo, o delegado provincial das Finanças, Romão Pinto Chamuquelengue, técnicos do sector a nível local e central, responsáveis da administração municipal de Saurimo, representantes do Comando Provincial da Polícia Nacional, entre outros convidados. (ANGOP)

Angop/hd

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA