Jovem jiadista morto pela polícia canadiana

Intervenção de forças especiais canadianas em Strathroy, Ontário, esta noite 10 de agosto para neutralizar jovem radical do estado islâmico que preparava atentado (Reuters)

Polícia federal canadiana matou esta quarta-feira à noite em Toronto, Canadá, um simpatizante do grupo jiadista estado islâmico quando se preparava para cometer um atentado terrorista numa zona muito frequentada.

Aaron, Driver, jovem de 24 anos, simpatizante do grupo jiadista estado islâmico, foi morto pela polícia canadiana, ontem à noite, 10 de Agosto, quando se preparava para cometer atentado com explosivos numa zona muito frequentada de Toronto, no Canadá.

O jovem Aaron, tinha prestado vassalagem recentemente num vídeo exibido nas redes sociais ao grupo jiadista estado islâmico.

Aaron Driven, foi morto no seu apartamento por ocasião de uma rusga da polícia canadiana, durante a qual ele despoletou uma bomba sem qualquer efeito, e quando tentava accionar uma segunda bomba, foi prontamente abatido pela força especial canadiana;

Horas antes, a companhia dos transportes públicos de Toronto, tinha sido informada pelas autoridades da eventualidade de uma “ameaça terrorista credível”, indicou um porta-voz da empresa à televisão CTV.

Nascido no Canadá e convertido em 2010, ao Islão, o jovem Aaron Driver, constava dos ficheiros dos serviços de informações e da polícia criminal, como sendo sendo perigoso.

Aliás, ele chegou a estar preso o ano passado pelas suas simpatias ao grupo terrorista estado islâmico, publicitadas nas redes sociais, mas foi solto em Fevereiro e colocado sob termo de identidade e residência, acompanhado da sua irmã num pavilhão de Strathroy, a 225 km a sudoeste de Toronto.

Apesar desta operação desta quarta-feira à noite, as autoridades canadianas mantiveram o nível médio de alerta terrorista polícia, com o ministro da Segurança, Ralph Goodale, a dizer que o “governo estava a acompanhar com vigilância todas as ameaças potenciais”.

A situação era calma esta quinta-feira, 11 de Agosto, em todo o Canadá, nomeadamente, em Toronto, onde reside o jornalista Fernando Cruz Gomes, Director do jornal português ABC, que declarou à RFI ser o Canadá um país multicultural, e que portanto mesmo havendo casos de extremistas com o jovem, as pessoas não devem cair na armadilha do medo e pânico. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA