Impeachment: Acusação e defesa de Dilma se enfrentam no Senado antes da votação final (vídeo)

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O julgamento da presidenta afastada Dilma Rousseff é retomado nesta terça-feira (30), um dia após a petista ter comparecido ao Senado para responder às questões dos parlamentares. Acompanhe ao vivo a sessão histórica:

A sessão de hoje, presidida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, começa com a fase de debates entre acusação e defesa. Os advogados de cada parte terão 1h30 para falar. Depois, estão previstas réplica e tréplica de 1h cada.

Na sequência, cada um dos 81 senadores terá até 10 minutos para discursar, se assim o desejarem.

Depois da maratona de debates, que pode entrar pela madrugada de quarta (31), acontece finalmente a votação final do processo de impeachment, que será aberta, nominal e feita pelo painel eletrônico.

Dois senadores favoráveis ao impeachment e dois contrários terão cinco minutos cada um para encaminhamento de votação.

Em seguida, Lewandowski fará a seguinte pergunta aos senadores: “Cometeu a acusada, a senhora presidente da República, Dilma Vanna Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto a instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhes são imputados e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo de oito anos?”

Se 54 senadores ou mais votarem a favor do processo, a presidenta será definitivamente afastada e ficará inelegível por oito anos a partir do fim de 2018, quando se encerraria o seu mandato conquistado em 2014 com mais de 54 milhões de votos.

Caso contrário, o processo será arquivado e Dilma reassumirá a Presidência da República. (Sputnik)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA