Discurso do líder marca abertura do congresso

Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos (Foto: Pedro Parente)

Luanda – “O MPLA nasce da esperança de um povo”. Foi com essa frase que o líder do partido, José Eduardo dos Santos, abriu caminho para o começo, nesta quarta-feira, dos trabalhos do VII Congresso Ordinário do partido.

O conclave, que congrega 2.530 delegados provenientes do país e da diáspora, ficou marcado, neste primeiro dia, pela apresentação do relatório do Comité Central, feita pelo vice-presidente do partido, Roberto de Almeida.

Durante o dia, em que se acompanhou com interesse o pronunciamento do presidente do MPLA, os delegados procederam à apreciação deste relatório e apresentaram, em comissões de trabalho, sugestões para a sua melhoria.

Segundo o porta-voz do conclave, Manuel Rabelais, neste primeiro dia os delegados trabalharam em duas comissões, para discutir o relatório do Comité Central e a Proposta de ajustamento aos estatutos do partido.

A cerimónia de abertura, que culminou com o discurso de José Eduardo dos Santos (bastante aclamado) abarcou, além da componente política, um momento cultural.

O músico gospel Celso Mambo foi o primeiro a entrar em cena, interpretando o hino nacional, a que se seguiram os saxofonistas Nanuto e Sanguito.

O momento terminou com dois números, interpretados pelos músicos Matias Damásio, Yola Semedo e Patrícia Faria.

Participaram dos trabalhos iniciais 2.530 delegados, uma cifra de 97 porcento dos delegados previstos, 35 porcento dos quais jovens militantes.

O congresso decorre no Centro de Conferências de Belas, sob o lema “MPLA – Com o povo rumo à vitória”. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA