Dia de reflexão antes da 2ª volta em São Tomé e Príncipe

Imagem de mesa de votos na primeira volta das presidenciais que têm a segunda volta este domingo, 7 agosto de 2016 (Liliana Henriques/S.Tomé)

Depois de um pouco mais de uma semana de campanha eleitoral para a segunda volta das presidenciais deste domingo em São Tomé e Príncipe, escrutínio com um único candidato, Evaristo Carvalho, da ADI no poder, este sábado marca é dia de reflexão.

No termo de dias de intensa controvérsia em torno dos resultados da primeira volta que levaram o presidente cessante Manuel Pinto da Costa e a antiga primeira-ministra Maria das Neves, respectivamente o segundo e a terceira mais votados, a pedirem a anulação do escrutínio –pedido ao qual a justiça não acedeu- Evaristo Carvalho que obteve um pouco mais de 49% dos votos na primeira volta de 17 de julho, ficou a ser o único candidato na corrida para a presidência, após o seu mais directo adversário, Pinto da Costa, ter desistido de concorrer à segunda volta.

Neste quadro já por si complexo, os partidos da oposição anunciaram esta semana que retiravam todos os seus representantes da Comissão Eleitoral Nacional, uma situação inusitada que não deixou de agudizar as fricções no seio da sociedade são-tomense ao ponto da ONU ter mandatado esta semana para o país um enviado especial do Secretário-geral para África Central, Abdoulaye Bathili.

Após ter-se avistado com todos os actores políticos do país, o enviado especial não escondeu algum receio e expressou o desejo de que a tensão não atinja os níveis de outros países africanos onde as crises são manifestas.

É por conseguinte num clima de expectativa redobrada que se perspectivam as eleições de amanhã. 111.222 eleitores são chamados às urnas este domingo, 7 de agosto, em S. Tomé Príncipe, num escrutínio para o qual a sociedade civil não envia observadores informais em sinal de protesto contra o acto que consideram ilícito.

Também ausentes estão a União Africana e a União Europeia que não enviaram nenhum observador, a CEEAC e alguns dos países com representação diplomática no pais sendo os únicos a estarem presentes, totalizando o número de aproximadamente 20 observadores internacionais nestas eleições.

Entretanto, Alberto Pereira, Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, declarou à RFI, estar tudo preparado para esta segunda volta da presidencial de amanhã e apelou à paz e tranquilidade. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA