Cuanza Norte: Licenciados recebem diplomas na província

Os estudantes licenciados da E.S.P.K.N. (Foto: Eliseu Veloso)

Quinhentos licenciados da Escola Superior Pedagógica do Cuanza Norte (ESPKN) receberam no sábado, em Ndalatando, os seus diplomas, em cerimónia orientada pelo ministro do sector, Adão do Nascimento.

Entre os contemplados estão 214 estudante do curso de Biologia e Química, 127 de Matemática e Física, 89 do Ensino Primário e 70 do curso de Linguística e Ciências Sociais.

Em breves palavras, o ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento, sublinhou que a formação de quadros faz parte de um programa sustentável do governo angolano e que os graduados representam uma garantia do progresso que se quer, “pois só com quadros qualificados, se constrói uma Angola sólida”.

Defendeu a reestruturação gradual da ESPKN, ampliando as suas infraestruturas e diversificando a oferta dos serviços que presta.

“Significa que devemos ter biblioteca recheada de bibliografia para os cursos que temos e os que pretendemos ter e também edifícios adequados comportam todos os serviços que a escola precisar, como salas especializadas, laboratórios, centros de investigação e outros”, referiu.

Em representação do governador José Maria Ferraz dos Santos, o vice-governador do Cuanza Norte para o sector político e social, José Alberto Quipungo, atribuiu o feito à vontade do Executivo em combater as mais variadas formas de descriminação, por via do saber, levando a formação universitária às mais variadas regiões do país.

Exortou os recém-formados a primarem pela aplicação dos conhecimentos adquiridos, pondo à prova as suas competências.

Na ocasião, o director-geral da ESPKN, António Inácio Rocha Santana, disse que uma das questões centrais da instituição universitária é a melhoria dos indicadores de qualidade dos seus quadros.

“Somos uma instituição bastante dinâmica e em constantes transformações, por isso consideramos que ela (instituição) por si só é um factor de equilíbrio nacional, a julgar pela política de quadros estabelecida pelo governo central”, afirmou.

Referiu que desde a sua criação, em 2007, a instituição tutelada pelo Ministério do Ensino Superior formou também, até ao momento, mil e 402 bacharéis “e agora 500 licenciados nas especialidades de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Língua Francesa, Matemática, Física, Biologia, Química e Ensino Primário”.

Numa mensagem, os finalistas consideraram o momento de “impar” na sua carreira estudantil, pois lhes permitirá alcançar outros objectivos no plano pessoal, académico e laboral. Defendem a necessidade de diversificação da oferta de cursos.

Enalteceram o empenho do governo na criação das condições para a abertura do ensino superior na província, factor que tem contribuído para a elevação do nível académico dos quadros locais, visando uma melhor participação destes nos desafios de reconstrução e do desenvolvimento do país.

Entrega de certificados de mérito aos melhores estudantes e momentos culturais com teatro, música e dança coloriram a cerimónia que decorreu no Cine Ndalatando, testemunhada por membros do governo da província, deputados à Assembleia Nacional, convidados, familiares e amigos dos formados.

A Escola Superior Pedagógica do Cuanza Norte dispõe de 23 salas de aulas, um anfiteatro com capacidade para quatrocentas pessoas, três laboratórios para as especialidades de biologia, química e física, duas salas de informática, restaurante e biblioteca. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA