Coutinho Nobre diz haver condições para implementar Moção de Estratégia do MPLA

Coutinho Nobre Miguel - PCA do Banco Sol (arq) (Foto: Pedro Parente)

O membro do Comité Central (CC) do MPLA Coutinho Nobre Miguel afirmou nesta terça-feira que, com a eleição do vice-presidente, secretário-geral, do Bureau Político e da comissão de auditoria e disciplina do partido, estão criadas as condições para a implementação das grandes linhas da Moção de Estratégia do líder do MPLA, José Eduardo dos Santos.

Em declarações à Angop, no final da primeira reunião do CC, eleito no VII Congresso Ordinário desta força política, reafirmou a necessidade de se trabalhar com o povo e interpretar as suas aspirações, tendo em vista o bem comum.

Para o também presidente do conselho de administração do Banco Sol, outras prioridades para os próximos tempos serão a diversificação da economia, a unidade e a coesão nacional.

O político entende que o partido saiu do congresso mais fortalecido e coeso, tendo em vista as eleições gerais de 2017.

A Moção de Estratégia do líder do MPLA aponta dez grandes desígnios, entre os quais consolidar a paz, reforçar a democracia e preservar a unidade e a coesão social.

Refere-se ainda à promoção do desenvolvimento da sociedade civil participativa e responsável e assegurar a inclusão política dos cidadãos, sem discriminação.

Edificar o Estado democrático e de direito forte, moderno e regular da vida económica e social, e promover o desenvolvimento sustentado, assegurando a inclusão económica e social, a estabilidade macroeconómica, a diversificação da economia e reduzir as desigualdades são outros desígnios da Moção de Estratégia.

De acordo com o presidente do MPLA, dever-se-á estimular a transformação económica, o desenvolvimento do sector privado e a competitividade, além de promover o desenvolvimento humano e a qualidade de vida dos angolanos, tais como a erradicação da fome e da pobreza.

A Moção de Estratégia de José Eduardo dos Santos destaca também o fortalecimento e modernização do sistema de defesa e segurança nacional. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA