Cooperação bilateral domina encontro entre Chikoti e chefe da diplomacia saharaui

Ministro das Relações Exteriores, Georges Chikoti (à dir.), concede audiência a homólogo da RASD, Mohamed Salem Ould Salek (Foto: Lino Guimaraes)

Questões ligadas à cooperação entre Angola e a República Árabe Saharui Democrática (RASD) estiveram no centro da audiência que o ministro das Relações Exteriores, Georges Chikoti, concedeu hoje, em Luanda, ao seu homólogo Mohamed Salem Ould Salek.

Em declarações à imprensa, no final do encontro, Chikoti afirmou que o Sahara vai continuar a receber a ajuda de Angola, porque apoia a causa do povo saharaui.

“Queremos que a questão da RASD conheça a sua conclusão final pelas Nações Unidas, que se comprometeram em realizar o referendo para o povo saharaui”, disse.

Segundo o chefe da diplomacia angolana, não se pode aceitar que a questão do Sahara fique pendurada como está, e, sobretudo as acções de sabotagem que tendem impedir a realização do referendo.

Para Mohamed Salem Ould Salek, que é portador de uma mensagem do presidente da RASD, Brahim Ghali, para o seu homólogo José Eduardo dos Santos, as relações entre Angola e a RASD são solidárias.

Precisou que os dois países comungam os mesmos pontos de vista sobre assuntos candentes, quer a nível da União Africana, quer das Nações Unidas, tendo realçado o papel que Angola desempenha nos fóruns internacionais e regional.

Sublinhou igualmente o relevante processo de edificação de um Estado democrático e de direito em curso em Angola, ao mesmo tempo que felicitou o Presidente José Eduardo dos Santos pela sua reeleição à liderança do MPLA.

Considerou que Angola pode continuar a jogar um papel importante no continente africano, ao lado da África do Sul, Argélia, Nigéria, Tanzânia, Quénia, Etiópia e de outros países.

“Angola, depois da guerra, tem tido um desempenho positivo, apesar das dificuldades resultantes da queda do preço do petróleo no mercado internacional”, observou. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA