Civil morto pela polícia em Milwaukee tinha mais balas que o agente da autoridade

(EURONEWS)

O presidente da câmara de Milwaukee, nos Estados Unidos, revelou que o civil afro-americano morto por um agente da polícia no sábado à noite nesta cidade do Wisconsin teria mais balas na arma que carregava do que o agente da autoridade que o neutralizou. O caso está a provocar a revolta de alguns populares contra o alegado excesso de violência da polícia contra os afro-americanos.

Depois de já ter sido revelado que o agente da polícia envolvido é também afro-americano e que a vítima mortal, Sylville smith, estaria na posse de uma arma roubada em março, Tom Barret fez questão de informar a comunidade local sobre o perigo que representava o suspeito

“Quero que a nossa comunidade saiba que o suspeito tinha uma arma na mão. O que o polícia não sabia na altura é que o suspeito tinha 23 balas no carregador. O suspeito tinha mais balas na sua arma do que o polícia na dele”, afirmou Tom Barret.

O caso deu-se sábado à noite e espoletou a revolta na cidade. Dois polícias deram ordem de paragem a uma viatura suspeita com dois ocupantes. Um deles, Sylville Smith, de 23 anos e já cadastrado, fugiu a pé, armado, foi perseguido e atingido a tiro por um dos agentes. O suspeito morreu no local.

O governador do Wisconsin mobilizou militares da guarda nacional norte-americana para restaurar a calma em Milwaukee, onde a revolta pela morte de Sylville Smith desencadeou confrontos entre manifestantes e a polícia, com diversos estabelecimentos comerciais da região e algumas viaturas a serem incendiados. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA