Cerca de 50 mortos em protestos na Etiópia

Manifestação em Addis Abeba, a 6 de Agosto de 2016. (REUTERS/Tiksa Negeri)

Cerca de 50 pessoas morreram este fim-de-semana na Etiópia durante protestos antigovernamentais nas regiões de Oromo e de Amhara. O balanço é provisório e foi apontado por elementos da oposição.

Cerca de 50 pessoas morreram, este sábado e domingo, durante protestos antigovernamentais nas regiões de Oromo e de Amhara, na Etiópia. De acordo com a agência France Presse, o balanço é provisório e foi apontado por elementos da oposição.

Merera Gudina, figura da oposição etíope e presidente do Congresso do Povo Oromo, indicou à AFP que “entre 48 a 50 manifestantes foram mortos” pelas forças de ordem e que “este balanço poderá ser muito maior porque há imensos feridos por bala”.

Este fim-de-semana, várias manifestações decorreram na região de Amhara e Oromo, incluindo na capital Addis Abeba, onde cerca de 500 manifestantes da etnia oromo se concentraram na Praça Meskel com as mãos cruzadas em cima da cabeça em sinal de desconfiança, tendo sido violentamente dispersados pela polícia.

Os membros das duas principais etnias do país, os Oromo e os Amhara, protestam há vários meses contra o governo, acusando-o de discriminação a favor do grupo étnico Tigrayans que acusam de ocupar posições-chave no Executivo e nas forças de segurança.

O primeiro-ministro, Haile Mariam Dessalegn, anunciou na sexta-feira a proibição de manifestações que “ameaçassem a unidade nacional” e apelou à polícia para usar todos os meios para as prevenir. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA