Cabinda: Desafios do Futuro devem ser encarados com responsabilidade – diz Comandante

Brigadeiro António Manuel Aprel-Comandante-Adjunto para Educação Patriótica-Região Militar Cabinda (Foto: PedroJoão)

O comandante-adjunto para Educação Patriótica da Região Militar Cabinda, Brigadeiro António Manuel Aprel, disse na quarta-feira , na Vila de Buco-Zau, que os especialistas do Órgão de Educação Patriótica, a todos os níveis na província, devem encarar os desafios do futuro com muita responsabilidade.

O brigadeiro António Manuel Aprel, falava na sala de conferências da 11ª Brigada de Infantaria da 1ª Divisão de Infantaria, na localidade de Bata-Sano, municipio de Buco-Zau, durante o acto que marcou o encerramento da XI Reunião Metodológica do Órgão de Educação Patriótica da Região Militar, iniciada terça-feira.

“É urgente a preparação e actualização cuidada dos especialistas à distintos níveis na Região Militar, para que possam acompanhar os passos de desenvolvimento científico e tecnológico militar dos exércitos do mundo e usá-los na transformação das mentes dos homens a nossa disposição para que haja, cada vez mais, empenho e dedicação na execução das tarefas atinentes a defesa da pátria nesta parcela do país”, disse.

Indicou ainda que a organização e realização do trabalho de educação patriótica continua a ser um desafio enorme que exige ideias novas, actualizadas, sincronizadas e que se revejam na pessoa militar, que continua a ser o centro das atenções e do qual depende o êxito de qualquer missão, bem como o manejo dos mais sofisticados meios militares para defender o país e promover a paz.

Pediu igualmente aos oficiais especialistas de Educação Patriótica dos Batalhões, grupos e companhias das subunidades no sentido de cooperarem com os serviços de justiça e saúde militar na educação das tropas, com a realização de palestras de educação jurídica com oficiais e, por outro, na eliminação das fontes de doenças, algumas das quais perigosas a vida e à prontidão combativa nas Unidades.

“Devemos também cooperar com o órgão de pessoal e quadros, no conhecimento, combate e prevenção das diferentes motivações negativas das tropas, mormente, a deserção e suas causas”, disse.

Aproveitou ainda o momento para exortar a todos os especialistas de educação patriótica da Região Militar para encararem os desafios do futuro com muita responsabilidade nas tarefas atribuídas e fundamentalmente no combate a campanha que elementos , inimigos da paz, levam acabo , “no nosso território, sem qualquer sustentação, nas redes sociais”.

Durante os dois dias, o encontro teve como objectivos transmitir as orientações e recomendações saídas da XI reunião de Balanço Anual dos Órgãos de Educação Patriótica do Exército. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA