Benguela: Província prevê registar mais de um milhão de eleitores

Benguela: Director Provincial dos Registos,Tuca Manuel (Foto: Miguel Arcanjo)

As autoridades administrativas da província de Benguela pretendem registar até 2017, pelo menos, um milhão de eleitores, durante o processo eleitoral que arranca a 25 deste mês, e assumir-se como segundo parque eleitoral do país, depois de Luanda, afirmou o director provincial dos Registos, Tuca Manuel.

Segundo o responsável, que falava a Angop, para atingir esta cifra, precisa-se, além dos 895 mil e 836 eleitores que se encontram na base central de dados da província de Benguela, registar os possíveis eleitores que tenham escolhido a província de Benguela para viver e os 140 mil e 92 novos eleitores na segunda fase.

O responsável explicou que o registo dos novos eleitores (140 mil e 92) corresponde a 5,8 porcento de cidadãos que farão 18 anos, pouco antes das eleições de 2017.

“Juntando os 895 mil e 836 eleitores aos cidadãos que tenham escolhido a província para viver, mais o registo dos que vão votar pela primeira vez , que é de 140 mil e 92 eleitores, poderemos atingir a cifra de mais de um milhão de eleitores e Benguela poderá atingir essa meta até Janeiro de 2017”, disse o director.

Sem avançar com a data do arranque da segunda fase, Tuca Manuel revelou que o processo de actualização do registo eleitoral, que arranca no dia 25 de Agosto próximo, servirá de prova de vida dos eleitores e vai actualizar os dados dos cidadãos, sobretudo a morada ou um erro cometido no registo inicial.

O director provincial dos registos frisou, por outro lado, que para esta primeira fase estarão disponíveis 360 brigadistas distribuídos em 10 repartições de registos, 45 entidades registadoras (brigadas) e 23 educadores cívicos eleitorais.

Deu a conhecer que esta semana decorre a formação dos operadores para o registo eleitoral, assim como dos educadores cívicos, estes últimos são pessoas com alguma habilidade, boa oralidade e domínio do português ou a língua nacional, que estarão junto dos registadores nos bairros e ruas das circunscrições administrativas.

“Nesta primeira fase as entidades registadoras vão actuar com tabletes para actualização dos antigos eleitores, entre 25 de Agosto à 01 de Setembro deste ano. A actualização será feita nas instituições e não será feita impressão de cartões de eleitores.Teremos o dia de registo e actualização eleitoral para os mercados, universidades e escolas secundárias”, sublinhou.

Tuca Manuel disse que, aqueles que perderam o cartão de eleitor deverão actualizar e quando chegar a fase de emissão levantar na sua entidade registadora (brigada), visto que cada comuna poderá possuir duas, sendo uma municipal.

Acrescentou que, o cadastramento dos fiscais dos partidos políticos já começou nas administrações municipais, nos termos da lei do registo eleitoral oficioso.

“Os fiscais dos partidos políticos são três, sendo dois deles suplentes, mas nesta primeira fase, dada a insuficiência de meios, só estamos a emitir credenciais aos fiscais efectivos e a partir do dia 25 já teremos condições para credenciar os suplentes”, disse.

O director dos registos salientou que estão garantidas as condições logísticas e materiais através do uso de 19 viaturas do censo, afecto ao Instituto Nacional de Estatística, bem como outros meios financeiros, técnicos e materiais para o arranque do processo na província. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA